27/04/2018 | Última Atualização: 15/08/2018 09:42:51

ODS

Instituições avançam no debate sobre indicadores globais da Agenda 2030

Editoria: IBGE

Terminou ontem o III Encontro de Produtores de Informação Visando à Agenda 2030, que reuniu cerca de 300 técnicos de instituições do governo federal para avançar na elaboração dos indicadores globais para acompanhar os 17 Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) no Brasil. O evento, organizado pelo IBGE em parceria com a Secretaria de Governo, ocorreu entre os dias 24 e 26 de abril, na Escola Nacional de Administração Pública (Enap), em Brasília (DF).

O presidente do IBGE, Roberto Olinto Ramos, ressaltou que o encontro foi extremamente proveitoso, e que as parcerias são um aspecto essencial nesse processo colaborativo: “a construção de uma agenda desse tipo é feita na discussão. Essa é uma experiência importante, é um trabalho que coloca tolerância, debates técnicos e a capacidade de avançar. As instituições precisam agora internalizar as discussões feitas aqui, para que os grupos continuem esse trabalho, para termos o fechamento dos indicadores, e possamos trazer a sociedade civil para o debate”.

#praCegoVer Mesa de abertura do III Encontro de Produtores de Informação Visando à Agenda 2030
Priscilla Rosa Pimentel, Henrique Villa, Roberto Olinto, José Antônio Marcondes e Francisco Gaetani na mesa de abertura do III Encontro
#praCegoVer Roberto Olinto, presidente do IBGE, participa da mesa de abertura do III Encontro de Produtores de Informação Visando à Agenda 2030
Presidente do IBGE (à esquerda) na mesa de abertura do III Encontro
#praCegoVer Platéia presta atenção no evento
Cerca de 300 representantes de instituições do governo federal participaram do III Encontro
#praCegoVer Platéia acompanha o evento
Cerca de 300 representantes de instituições do governo federal participaram do III Encontro

Na ocasião também foi lançada a Plataforma ODS, site com o primeiro conjunto desses indicadores, com fichas metodológicas, tabelas, gráficos e mapas. Nela é possível conhecer em que etapa se encontra cada indicador, como os que já foram produzidos, os que estão em análise/construção, os que ainda não possuem dados, os que não têm metodologia global definida e ainda aqueles que não se aplicam ao país. Na área restrita, os grupos de trabalho formados por profissionais das instituições produtoras de informação podem compartilhar conteúdos e debater cada um dos Objetivos.

Leia mais: Nova plataforma digital permite acompanhar indicadores da Agenda 2030

Além da presença do presidente do IBGE, a mesa de abertura do evento foi composta pelo presidente da Enap, Francisco Gaetani, pelo secretário nacional de Articulação Social, Henrique Villa, pela diretora de Planejamento, Avaliação e Assuntos Sociais do Ministério do Planejamento, Priscilla Rosa Pimentel, e pelo subsecretário-geral de Meio Ambiente, Energia, Ciência e Tecnologia do Ministério das Relações Exteriores, embaixador José Antônio Marcondes. Na sequência, foram apresentadas as funcionalidades da Plataforma ODS e sua integração com sistemas como o Sidra (Sistema IBGE de Recuperação Automática), o Banco de Metadados, a PGI (Plataforma Geográfica Interativa) e a Inde (Infraestrutura Nacional de Dados Espaciais).

Lideranças reforçam o compromisso do país com a Agenda 2030

Para Olinto, a Agenda 2030 “oferece a oportunidade não só de calcular indicadores, mas também de organizar a informação para facilitar a implementação de políticas públicas. É um momento chave para que se possa pensar a estatística e a geoinformação de forma mais ampla”.

Nessa perspectiva, os ODS também são considerados na preparação do novo Plano Plurianual do país, como destacou a diretora do Ministério do Planejamento: “é uma grande satisfação fazer parte desse processo. Não tem como falar em Plano Plurianual sem falar em ODS e construí-lo conjuntamente. Eles têm um papel fundamental no planejamento estratégico do país”.

Sobre a Plataforma ODS, o secretário nacional de Articulação Social disse que ela poderá ajudar com o desafio de internalizar a Agenda 2030: “a Agenda é uma caminhada de Estado, não apenas de governo. Precisamos que cada um de nós seja um vetor do processo de disseminação. Temos uma grande expectativa com essa nova plataforma digital. Peço que cada um apoie e participe do processo”.


Repórter: Pedro Renaux
Imagem: Acervo IBGE