Revista Retratos

Vídeo traz reportagem sobre o Velho Chico, o rio que resiste

Editoria: Revista Retratos | Marcelo Benedicto

19/11/2018 14h00 | Atualizado em 19/11/2018 16h16

Quem vê a nascente do Rio São Francisco no alto do Parque Nacional da Serra da Canastra, em Minas Gerais, não imagina que aquele pequeno curso d’água ganha cada vez mais volume ao longo dos 2.700 quilômetros que percorre até desaguar no Oceano Atlântico, na divisa entre Sergipe e Alagoas.

Foi na foz do Velho Chico, mais precisamente em Propriá, município sergipano, que a equipe de reportagem da revista Retratos conheceu de perto a vida de barqueiros, pescadores, arrozeiros e ceramistas cujas vidas dependem da existência do rio.

São histórias de amor ao São Francisco, mas de saudades dos velhos tempos nos quais o rio era símbolo de abundância. Porém, apesar da diminuição do volume de água e da quantidade de peixes, do assoreamento de seu leito e da poluição, o Velho Chico e sua gente resistem e querem um futuro melhor.

O vídeo abaixo traz algumas dessas histórias. Ele é a primeira parte de uma série de reportagens sobre o rio São Francisco que serão publicadas aqui na Agência IBGE Notícias. Todas serão baseadas na revista Retratos nº 13

O Velho Chico também já foi tema do Minuto IBGE. Para escutar, clique aqui.