PAIC 2014: valor das obras na indústria da construção recua 0,8% em relação a 2013

29/06/2016 11h13 | Atualizado em 29/05/2017 10h16

 

Em 2014, a Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC) do IBGE verificou que as empresas do setor realizaram incorporações, obras e serviços no valor de R$ 382,0 bilhões, com retração de 0,8%, em termos reais, em relação a 2013. Em 2014, havia 119 mil empresas ativas na indústria da construção, um aumento de 7,5% no número de empresas ativas em relação a 2013. Elas ocuparam 2,9 milhões de pessoas.

A participação do gasto com o pessoal ocupado (33,1%) nos custos e despesas dessas empresas foi inferior à de 2013 (34,0%). O salário médio mensal avançou 5,6% em termos reais, passando de R$ 1.759,30 em 2013 para R$ 1.973,67 em 2014.

Embora continue liderando o setor, a região Sudeste perdeu participação, de 2013 para 2014, tanto em pessoal ocupado (de 53,3% para 52,2%), quanto no valor das incorporações, obras e serviços (de 60,0% para 58,5%). No mesmo período, o valor das obras de infraestrutura, para as empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas - grupo de maior peso na indústria da construção - subiu de R$ 132,4 bilhões para R$ 137,2 bilhões, mas sua participação no total recuou de 44,8% para 43,1%. A seguir, as principais informações da PAIC 2014, que também estão disponíveis aqui.

A Pesquisa Anual da Indústria da Construção - PAIC levanta informações econômicas e financeiras sobre o segmento empresarial da indústria da construção no país, abrangendo a construção de edifícios, as obras de infraestrutura e os serviços especializados para construção. A PAIC permite traçar um panorama mais detalhado, para 2013 e 2014, sobre o pessoal ocupado, a receita bruta, o valor das incorporações, obras e/ou serviços, estrutura dos custos e despesas, investimentos e valor adicionado, além dos grupos de produtos da construção para as empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas.

Em 2014, valor das incorporações, obras e serviços na construção foi de R$ 382,0 bilhões

As empresas de construção, em 2014, realizaram incorporações, obras e serviços no valor corrente de R$ 382,0 bilhões, com retração de 0,8% em relação a 2013 (em valores deflacionados pelo Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA, item Reparos, calculado pelo IBGE, que teve variação média de 8,43%, em 2014).

Excluindo-se as incorporações, o valor corrente das obras e serviços da construção atingiu R$ 371,5 bilhões, dos quais R$ 128,2 bilhões (34,5%) vieram das obras contratadas por entidades públicas; essa participação superou a de 2013 (34,0%). A receita operacional líquida (R$ 359,1 bilhões) recuou 1,3% em termos reais em relação a 2013 (Tabela 1).


Tabela 1 - Dados gerais da indústria da construção - Brasil - 2013-2014

Ano
Dados gerais da indústria da construção
Número de
empresas
ativas
Pessoal
ocupado
Salários,
retiradas e
outras
remunerações
Gastos de
pessoal
Total dos
custos e
despesas
Valor das
incorporações,
obras e/ou
serviços
Valor das
obras e/ou
serviços
Construções
para
entidades
públicas
Receita
operacional
líquida
1 000 000 R$
2013
110.713
2.936.499
67.160
101.946
299.974
355.257
344.143
116.937
335.381
2014
119.018
2.852.824
73.197
106.621
322.337
381.992
371.499
128.225
359.105
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria, Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2013-2014.

Em 2014, as 119 mil empresas ativas da indústria da construção ocuparam 2,9 milhões de pessoas. O gasto com o pessoal ocupado correspondeu a 33,1% do total dos custos e despesas das empresas de construção, participação inferior à de 2013 (34,0%). O salário médio mensal avançou 5,6% em termos reais (considerando a variação do Índice Nacional de Preços ao Consumidor - INPC, que foi de 6,23% em 2014), passando de R$ 1.759,30 em 2013 para R$ 1.973,67 em 2014. Houve um aumento de 7,5% no número de empresas ativas, em relação a 2013 (Gráfico 1).


Gráfico 1 - Número de empresas ativas na indústria da construção com 1 ou mais
pessoas ocupadas - Brasil - 2010-2014


Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria, Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2010-2014.

A construção de edifícios continuou sendo o setor com a maior participação (43,8%) no valor corrente (R$ 167,2 bilhões) de incorporações, obras e serviços em 2014. O segmento de obras de infraestrutura (R$ 149,1 bilhões) teve a segunda maior participação (39,0%), embora com uma queda em relação a 2013 (40,2%). Já a participação dos serviços especializados (R$ 65,7 bilhões) ficou praticamente estável (de 17,0% para 17,2%).

Obras e serviços da construção representam 94,7% da receita bruta

As obras e/ou serviços da construção executados pelas empresas de construção representaram a parte fundamental na receita bruta do setor, totalizando R$ 368,7 bilhões em 2014, ou 94,7% do total, contra 94,2% em 2013.

A receita proveniente das incorporações de imóveis construídos por outras empresas (R$ 10,5 bilhões) representou 2,7% do total das receitas em 2014, contra 3,1% em 2013. As receitas das vendas de materiais de construção e de demolição representaram 0,8% e 1,0% do total, em 2014 e 2013, respectivamente. Os demais itens das receitas participaram com menos de 2,0% da receita bruta, tanto em 2013 como em 2014.

Gastos com pessoal representam 33,1% dos custos da indústria da construção

Entre os custos e despesas da indústria da construção, destacam-se os gastos de pessoal com 33,1% de participação percentual em 2014, inferior à de 2013 (34,0%). O consumo de materiais de construção, segunda maior relevância, ficou com 24,7% em 2014, percentual semelhante ao de 2013 (24,6%). Já as obras e/ou serviços contratados a terceiros foram de 11,6% em 2013 para 10,7% em 2014. (Tabela 2).


Tabela 2 - Estrutura dos custos e despesas da indústria da construção, segundo
as variáveis selecionadas - Brasil - 2013-2014


Variáveis selecionadas
Estrutura dos custos e despesas da indústria da construção
2013
2014
Valor corrente
(1 000 R$)
Participação
percentual
(%)
Valor corrente
(1 000 R$)
Participação
percentual
(%)
Total
299.974.470
100,0
322.336.639
100,0
Gastos de pessoal
101.946.179
34,0
106.621.464
33,1
Consumo de materiais de construção
73.905.459
24,6
79.664.329
24,7
Obras e/ou serviços contratados a terceiros
34.735.861
11,6
34.600.142
10,7.
Consumo de combustíveis e lubrificantes
7.061.236
2,4
7.918.847
2,5
Serviços de manutenção e reparação de máquinas e equipamentos
6.831.975
2,3
7.649.998
2,4
Aluguéis, arrendamentos e leasing
11.983.140
4,0
13.214.071
4,1
Outros custos e despesas não mencionados acima
63.510.620
21,1
72.667.788
22,5
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria, Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2013-2014.

Os investimentos líquidos em ativos imobilizados das empresas da construção totalizaram R$ 7,9 bilhões em 2014. O investimento líquido em máquinas e equipamentos foi o principal destaque, com 51,0% do total investido, seguido por terrenos e edificações (20,6%), meios de transporte (19,9%), e outras aquisições - móveis, microcomputadores, etc. (8,5%).

Em 2014, valor adicionado da construção teve alta nominal de 6,5%

De 2013 a 2014, houve crescimento nominal no valor adicionado de todas as divisões da construção - construção de edifícios, obras de infraestrutura e serviços especializados (Tabela 3). Os serviços especializados para construção tiveram o maior crescimento nominal (13,8%), principalmente devido ao aumento de 9,5% no número de empresas ativas nessa divisão, no período: de 52.975 para 58.018.


Tabela 3 - Valor adicionado da atividade de construção, segundo as respectivas
divisões de atividades - Brasil - 2013-2014


Divisões de atividades
da construção
Valor adicionado da atividade de construção
Valor corrente
Variação
Absoluta
Relativa (%)
2013
2014
2013-2014
2013-2014
Total
168.769.429
179.810.835
11.041.406
6,5
Construção de edifícios
68.094.850
74.047.740
5.952.890
8,7
Obras de infraestrutura
66.208.655
66.543.230
334.575
0,5
Serviços especializados para construção
34.465.924
39.219.866
4.753.942
13,8
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria, Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2013-2014.
Nota: Valor adicionado e variação absoluta em 1000 R$.

Sudeste continua líder, mas perde participação na atividade da construção

Em 2014, o Sudeste teve as maiores participações no valor das incorporações, obras e serviços e no pessoal ocupado da construção. Embora continue liderando, perdeu participação, de 2013 para 2014, tanto em pessoal ocupado (de 53,3% para 52,2%), quanto no valor das incorporações, obras e serviços (de 60,0% para 58,5%). As participações do Nordeste e do Sul foram as que mais cresceram no período (Tabela 4).


Tabela 4 - Pessoal ocupado e valor das incorporações, obras e/ou serviços da indústria da
construção, segundo as Grandes Regiões - 2013-2014


Grandes Regiões
Pessoal ocupado
Valor corrente das incorporações, obras e/ou serviços
da indústria da construção
2013
2014
2013
2014
Total
(em 31.12)
Participação
percentual
(%)
Total
(em 31.12)
Participação
percentual
(%)
Valor
corrente
(1 000 R$)
Participação
percentual
(%)
Valor
corrente
(1 000 R$)
Participação
percentual
(%)
   Brasil
2.936.499
100,0
2.852.824
100,0
355.256.639
100,0
381.991.656
100,0
Norte
132.290
4,5
122.071
4,3
12.969.573
3,7
13.966.687
3,7
Nordeste
584.389
19,9
599.097
21,0
53.533.193
15,1
59.078.110
15,5
Sudeste
1.565.850
53,3
1.489.734
52,2
213.128.098
60,0
223.582.612
58,5
Sul
417.687
14,2
429.156
15,0
47.779.822
13,4
54.563.196
14,2
Centro-Oeste
236.283
8,1
212.766
7,5
27.845.953
7,8
30.801.051
8,1
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria, Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2013-2014.

Peso das obras de infraestrutura na indústria da construção recua para 43,1%

Em 2014, o valor corrente total das incorporações, obras e/ou serviços da construção executados pelas empresas com 30 ou mais pessoas ocupadas foi de R$ 318,2 bilhões, assinalando uma queda de 0,7% em relação a 2013 (em valores deflacionados pela variação média do item Reparos do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo - IPCA, que foi de 8,43% em 2014) – Tabela 5.


Tabela 5 - Valor das incorporações, obras e/ou serviços da construção das empresas com 30 ou mais
pessoas ocupadas, segundo os grupos de produtos e/ou serviços da construção Brasil - 2013-2014


Grupos de produtos e/ou
serviços da construção
Incorporações, obras e/ou serviços da construção das empresas
com 30 ou mais pessoas ocupadas
2013
2014
Valor corrente
(1 000 R$)
Participação
percentual
(%)
Valor corrente
(1 000 R$)
Participação
percentual
(%)
Total
295.438.977
100,0
318.226.446
100,0
Incorporação de imóveis construídos por outras empresas
6.928.467
2,3
6.509.334
2,0
Obras residenciais
77.073.317
26,1
88.964.057
28,0
Edificações industriais, comerciais e outras edificações não residenciais
35.998.951
12,2
37.158.052
11,7
Obras de infraestrutura
132.417.660
44,8
137.213.179
43,1
Serviços especializados para construção
43.020.583
14,6
48.381.825
15,2
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Indústria, Pesquisa Anual da Indústria da Construção 2013-2014.
Nota: Inclui obras novas, reformas e manutenção.

De 2013 para 2014, o valor das obras de infraestrutura - grupo de maior peso na construção - subiu de R$ 132,4 bilhões para R$ 137,2 bilhões, mas sua participação no total das incorporações, obras e serviços recuou de 44,8% para 43,1%.

Já a participação das obras residenciais – segundo maior peso - subiu de 26,1% para 28,0% no período. Em terceiro, vem o grupo de serviços especializados, cuja participação também se elevou: de 14,6% para 15,2%.

 

Comunicação Social