Índice Nacional da Construção Civil sobe 1,44% em setembro

09/10/2020 09h00 | Última Atualização: 09/10/2020 09h00

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) subiu 1,44 % em setembro, a maior alta desde julho de 2013, ficando 0,56 ponto percentual acima da taxa de agosto. No ano, o índice acumula alta de 4,34% e, nos últimos doze meses, de 4,89%, resultado bem acima dos 3,78% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em setembro de 2019 o índice foi 0,37%.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em que em agosto fechou em R$ 1.191,84, passou, em setembro, para R$ 1.209,02, sendo R$ 645,56 relativos aos materiais e R$ 563,46 à mão de obra.

A parcela dos materiais com alta em diversos segmentos, subiu 2,55%, o maior índice da série com desoneração, iniciada em 2013. Os aumentos observados foram de 0,95 pontos percentuais em relação ao mês anterior (1,60%), e 2,28 pontos percentuais em relação a setembro de 2019 (0,27%).

Já a taxa da parcela da mão de obra, com dois reajustes observados, foi 0,20%, subindo 0,11 ponto percentual em relação ao mês anterior (0,09%) e caindo 0,27 ponto percentual em relação a setembro de 2019 (0,47%).

Os acumulados no ano são 6,59% (materiais) e 1,85% (mão de obra). Em doze meses, os acumulados foram 6,90% (materiais) e 2,62% (mão de obra).

Região Norte registra maior variação mensal

A Região Norte ficou com a maior variação regional em setembro (1,81%), devido à alta significativa na parcela dos materiais em todos os estados e ao acordo coletivo no Pará.

As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 1,62% (Nordeste), 1,33% (Sudeste), 1,06% (Sul) e 1,52% (Centro-Oeste). Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.221,08 (Norte); R$ 1.127,78 (Nordeste); R$ 1.258,43 (Sudeste); R$ 1.255,02 (Sul) e R$ 1.208,09 (Centro-Oeste).

Entre os estados, Sergipe teve a maior variação mensal (2,91%), devido à alta observada na parcela dos materiais.

O SINAPI, criado em 1969, tem como objetivo a produção de informações de custos e índices de forma sistematizada e com abrangência nacional, visando a elaboração e avaliação de orçamentos, como também acompanhamento de custos.

ESTATÍSTICAS SELECIONADAS

Sinapi – Setembro de 2020
Com desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1209,02 605,15 1,44 4,34 4,89
 
REGIÃO NORTE 1221,08 608,48 1,81 4,42 5,53
Rondonia 1261,08 703,12 0,89 3,22 3,44
Acre 1348,26 715,71 2,01 4,71 5,77
Amazonas 1191,99 583,67 1,21 4,10 4,44
Roraima 1262,85 524,46 1,84 3,15 4,84
Para 1201,82 576,13 2,41 4,06 5,83
Amapa 1222,67 593,86 0,97 7,99 9,69
Tocantins 1245,05 654,50 1,70 5,84 5,72
 
REGIÃO NORDESTE 1127,78 609,18 1,62 5,63 5,93
Maranhão 1175,74 619,39 1,16 5,42 6,08
Piaui 1153,71 766,74 2,38 4,73 6,49
Ceara 1116,54 644,79 0,80 4,71 5,37
Rio Grande do Norte 1084,45 546,61 1,30 4,22 4,65
Paraiba 1174,11 649,36 1,65 6,58 7,13
Pernambuco 1082,30 578,63 1,31 4,50 4,06
Alagoas 1090,51 544,91 1,27 4,42 4,90
Sergipe 1052,28 559,14 2,91 6,51 6,38
Bahia 1145,15 606,17 2,39 7,26 7,31
 
REGIÃO SUDESTE 1258,43 602,61 1,33 4,11 4,61
Minas Gerais 1150,68 633,29 1,21 3,51 4,51
Espirito Santo 1106,71 613,88 1,47 5,28 5,44
Rio de Janeiro 1344,23 612,63 0,41 4,30 5,03
São Paulo 1301,05 587,70 1,77 4,26 4,40
 
REGIÃO SUL 1255,02 600,18 1,06 2,65 3,07
Parana 1224,14 585,36 1,35 2,83 3,08
Santa Catarina 1362,83 738,22 0,74 2,39 2,95
Rio Grande do Sul 1202,96 545,94 0,94 2,60 3,14
 
REGIÃO CENTRO-OESTE 1208,09 616,71 1,52 3,63 4,68
Mato Grosso do Sul 1154,72 543,09 1,23 3,31 4,10
Mato Grosso 1198,13 683,54 1,14 4,41 4,98
Goias 1195,18 631,31 1,27 2,97 5,10
Distrito Federal 1276,05 563,55 2,54 3,71 4,12
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

Sinapi – Setembro de 2020
SEM desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
BRASIL 1295,48 648,03 1,35 4,15 4,70
 
REGIÃO NORTE 1302,05 648,90 1,77 4,25 5,39
Rondonia 1345,25 750,12 0,82 3,06 3,21
Acre 1436,26 762,25 1,88 4,39 5,38
Amazonas 1270,74 622,31 1,13 3,82 4,16
Roraima 1354,92 562,55 1,74 2,99 4,82
Para 1281,34 614,07 2,44 3,99 5,86
Amapa 1302,48 632,58 0,91 7,83 9,42
Tocantins 1326,66 697,77 1,60 5,62 5,58
 
REGIÃO NORDESTE 1204,41 650,59 1,52 5,47 5,79
Maranhão 1254,27 660,98 1,09 5,35 5,96
Piaui 1228,92 816,56 2,24 4,45 6,33
Ceara 1188,50 686,09 0,75 4,51 5,12
Rio Grande do Norte 1156,05 582,53 1,22 4,09 4,43
Paraiba 1254,80 693,86 1,53 6,79 7,32
Pernambuco 1157,17 618,64 1,23 4,40 3,99
Alagoas 1163,41 581,39 1,19 4,17 4,62
Sergipe 1122,73 596,72 2,72 6,16 6,04
Bahia 1226,22 648,55 2,23 7,08 7,12
 
REGIÃO SUDESTE 1352,84 647,27 1,23 3,90 4,44
Minas Gerais 1231,92 677,62 1,13 3,25 4,40
Espirito Santo 1186,92 658,40 1,37 5,12 5,25
Rio de Janeiro 1449,70 661,06 0,37 4,21 4,91
São Paulo 1400,10 632,41 1,64 4,04 4,21
 
REGIÃO SUL 1350,06 645,47 0,98 2,45 2,86
Parana 1320,18 631,32 1,24 2,66 2,91
Santa Catarina 1469,61 795,98 0,69 2,18 2,76
Rio Grande do Sul 1285,03 583,26 0,87 2,42 2,92
 
REGIÃO CENTRO-OESTE 1288,95 657,98 1,47 3,46 4,50
Mato Grosso do Sul 1234,22 579,95 1,15 3,13 3,92
Mato Grosso 1277,70 728,87 1,07 4,16 4,69
Goias 1274,80 672,79 1,19 2,83 4,97
Distrito Federal 1361,34 601,26 2,54 3,64 4,03
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.