Índice Nacional da Construção Civil varia 0,35% em março

09/04/2020 09h00 | Última Atualização: 09/04/2020 09h00

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi) variou 0,35% em março, uma alta de 0,10 ponto percentual em relação ao mês anterior, quando registrou 0,25%. Em março de 2019, o índice foi de 0,52%. O acumulado do primeiro trimestre ficou em 0,90%. O Sinapi registrou o resultado de 3,77% nos últimos 12 meses, uma queda em relação aos 3,95% dos 12 meses imediatamente anteriores.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em fevereiro fechou em R$ 1.165,13, passou em março para R$ 1.169,15, sendo R$ 613,81 relativos aos materiais e R$ 555,34 à mão de obra.

A parcela dos materiais apresentou variação de 0,20%, registrando queda tanto em relação ao mês anterior (0,53%), como em relação a março de 2019 (0,79%), 0,33 e 0,59 pontos percentuais, respectivamente. Já a mão de obra, com dois acordos coletivos observados, apresentou variação de 0,51%, registrando alta significativa, 0,57 ponto percentual, frente a taxa negativa de fevereiro (-0,06%). Já em relação a março de 2019, com taxa de 0,23%, a alta foi menos expressiva, 0,28 ponto percentual.

No primeiro trimestre do ano, os acumulados são 1,36% (materiais) e 0,39% (mão de obra), sendo que em doze meses ficaram em 4,35% (materiais) e 3,09% (mão de obra).

Região Nordeste registra maior variação mensal

A Região Nordeste, com alta na parcela dos materiais em sete dos nove estados que a compõem e acordo coletivo firmado na Bahia, ficou com a maior variação regional em março, 0,69%. As demais regiões apresentaram os seguintes resultados: 0,30% (Norte), 0,23% (Sudeste), 0,10% (Sul) e 0,15% (Centro-Oeste).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram: R$ 1.179,62 (Norte); R$ 1.083,86 (Nordeste); R$ 1.216,75 (Sudeste); R$ 1.226,42 (Sul) e R$ 1.175,45 (Centro-Oeste).

Amapá é o estado com maior alta

Com alta na parcela dos materiais, e sob impacto de reajuste captado nas categorias profissionais, Amapá (2,54%) foi o estado que apresentou a maior variação mensal. Em seguida veio a Bahia (2,28%), também sob influência de acordo coletivo.

Sinapi - Março/2020
Com a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
      
BRASIL 1169,15 585,19 0,35 0,90 3,77
      
REGIÃO NORTE 1179,62 587,80 0,30 0,87 4,47
Rondonia 1235,32 688,83 0,57 1,12 6,11
Acre 1297,30 688,58 0,12 0,74 4,55
Amazonas 1147,06 561,65 0,19 0,17 5,19
Roraima 1226,34 509,32 -0,17 0,17 3,46
Para 1164,98 558,45 0,10 0,86 3,84
Amapa 1166,26 566,53 2,54 3,02 7,31
Tocantins 1193,31 627,36 0,01 1,45 2,46
      
REGIÃO NORDESTE 1083,86 585,48 0,69 1,52 3,65
Maranhão 1126,58 593,52 0,13 1,01 5,59
Piaui 1104,46 733,99 0,12 0,26 2,46
Ceara 1082,07 624,95 -0,03 1,49 4,21
Rio Grande do Norte 1047,21 527,90 0,50 0,65 0,83
Paraiba 1110,86 614,45 0,04 0,85 2,26
Pernambuco 1046,16 559,38 0,01 1,02 3,14
Alagoas 1051,53 525,41 0,30 0,68 2,02
Sergipe 1002,65 532,80 0,01 1,49 2,02
Bahia 1097,60 580,99 2,28 2,80 4,23
      
REGIÃO SUDESTE 1216,75 582,61 0,23 0,65 3,32
Minas Gerais 1123,00 617,96 0,14 1,00 4,20
Espirito Santo 1057,10 586,33 0,02 0,56 3,55
Rio de Janeiro 1295,77 590,45 0,27 0,52 4,13
São Paulo 1254,32 566,60 0,28 0,52 2,50
      
REGIÃO SUL 1226,42 586,53 0,10 0,31 4,64
Parana 1191,00 569,51 0,23 0,05 4,05
Santa Catarina 1335,50 723,44 0,00 0,34 5,32
Rio Grande do Sul 1180,74 535,91 -0,02 0,71 4,90
      
REGIÃO CENTRO-OESTE 1175,45 600,07 0,15 0,83 4,07
Mato Grosso do Sul 1123,90 528,58 -0,01 0,55 2,97
Mato Grosso 1172,57 668,93 0,52 2,18 3,21
Goias 1165,38 615,61 -0,30 0,41 5,57
Distrito Federal 1228,70 542,68 0,36 -0,13 3,93
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

Sinapi - Março/2020
Sem a desoneração da folha de pagamento de empresas do setor

ÁREAS GEOGRÁFICAS CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES
      
BRASIL 1254,47 627,59 0,36 0,86 3,73
      
REGIÃO NORTE 1259,52 627,64 0,30 0,83 4,44
Rondonia 1319,73 735,82 0,56 1,09 6,12
Acre 1384,26 734,67 0,09 0,61 4,50
Amazonas 1225,77 600,37 0,18 0,16 5,13
Roraima 1317,85 547,17 -0,15 0,17 3,37
Para 1242,33 595,28 0,09 0,81 3,80
Amapa 1245,67 604,97 2,67 3,12 7,45
Tocantins 1274,73 670,42 0,01 1,48 2,40
      
REGIÃO NORDESTE 1159,25 626,27 0,74 1,53 3,69
Maranhão 1201,84 633,32 0,13 0,94 5,47
Piaui 1179,65 783,76 0,11 0,25 2,54
Ceara 1153,93 666,04 -0,02 1,45 4,29
Rio Grande do Norte 1117,68 563,20 0,48 0,64 0,72
Paraiba 1185,94 655,78 0,11 0,93 2,34
Pernambuco 1119,24 598,30 0,01 0,96 3,14
Alagoas 1124,38 561,87 0,29 0,67 2,19
Sergipe 1073,10 570,39 0,02 1,47 2,15
Bahia 1178,62 623,38 2,42 2,92 4,22
      
REGIÃO SUDESTE 1309,85 626,72 0,24 0,60 3,23
Minas Gerais 1203,86 662,21 0,22 0,90 4,07
Espirito Santo 1135,04 629,66 0,02 0,53 3,65
Rio de Janeiro 1397,96 637,45 0,24 0,49 4,19
São Paulo 1352,35 610,85 0,26 0,49 2,39
      
REGIÃO SUL 1320,62 631,41 0,06 0,22 4,60
Parana 1285,42 614,71 0,14 -0,04 3,96
Santa Catarina 1441,88 781,05 0,01 0,26 5,29
Rio Grande do Sul 1262,84 573,23 -0,02 0,66 5,00
      
REGIÃO CENTRO-OESTE 1255,71 640,99 0,14 0,79 4,06
Mato Grosso do Sul 1203,10 565,36 0,00 0,53 3,17
Mato Grosso 1251,88 714,08 0,49 2,04 2,94
Goias 1245,03 657,16 -0,27 0,44 5,64
Distrito Federal 1311,86 579,40 0,34 -0,13 4,03
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.