Receita dos serviços varia 2,1% em julho

18/09/2015 09h53 | Atualizado em 31/05/2019 14h45

 

Período Receita Nominal
Julho 2015/ Julho 2014
2,1%
Acumulado no ano
2,2%
Acumulado em 12 meses
3,3%

Em julho, o setor de serviços do país registrou crescimento nominal de 2,1%, na comparação com igual mês do ano anterior, repetindo a taxa de junho e superando a de maio (1,1%). A variação acumulada no ano atingiu 2,2% e em 12 meses, 3,3%.

Em relação a julho de 2014, apenas o segmento de Outros serviços apresentou variação nominal negativa (-0,8%). As variações nominais positivas foram: Serviços profissionais, administrativos e complementares (3,5%); Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (2,8%); Serviços prestados às famílias (2,5%) e Serviços de informação e comunicação (0,8%). Clique aqui para acessar a publicação completa.


Tabela 1
Indicadores de Receita Nominal do Setor de Serviços, Segundo Grupos de Atividades
Brasil - Julho 2015


Atividades Mês/Igual Mês do Ano Anterior Acumulado
Taxa de Variação (%) Taxa de Variação (%)
Mai
Jun
Jul
No Ano
12 Meses
Brasil
1,1
2,1
2,1
2,2
3,3
1 - Serviços prestados às famílias
-1,3
0,0
2,5
3,0
4,8
   1.1 - Serviços de alojamento e alimentação
-1,5
-1,1
1,8
2,4
4,6
   1.2 - Outros serviços prestados às famílias
-0,5
6,8
7,7
6,5
6,0
2 - Serviços de informação e comunicação
-0,8
-1,7
0,8
0,0
0,4
   2.1 - Serviços TIC
0,9
1,3
0,5
0,9
1,1
   2.2- Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias
-10,2
-18,1
2,8
-5,7
-3,5
3 - Serviços profissionais, administrativos e complementares
5,5
5,9
3,5
5,6
7,3
   3.1 - Serviços técnico-profissionais
-3,7
1,2
1,1
-1,6
1,4
   3.2 - Serviços administrativos e complementares
8,9
7,7
4,4
8,2
9,4
4 - Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio
0,8
4,4
2,8
2,6
3,3
   4.1 - Transporte terrestre
-1,9
4,3
0,9
2,3
2,8
   4.2 - Transporte aquaviário
23,4
21,5
24,6
18,5
15,3
   4.3 - Transporte aéreo
1,2
0,1
4,4
0,1
2,4
   4.4 - Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio
2,4
3,2
2,5
1,6
2,7
5 - Outros serviços
0,4
0,3
-0,8
0,3
3,5
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.

As contribuições para a taxa global foram: Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (0,9 p.p.);Serviços profissionais, administrativos e complementares (0,8 p.p); Serviços prestados às famílias e Serviços de informação e comunicação (ambos com 0,2 p.p.) e Outros serviços (0,0 p.p.) (Tabela 2, a seguir).


Tabela 2
Composição Absoluta da Taxa Mensal dos Serviços,
Segundo Grupos de Atividades, Brasil - Julho 2015


Atividades Taxa Composição
absoluta
da taxa
Brasil
2,1
2,1
1 - Serviços prestados às famílias
2,5
0,2
   1.1 - Serviços de alojamento e alimentação
1,8
0,1
   1.2 - Outros serviços prestados às famílias
7,7
0,1
2 - Serviços de informação e comunicação
0,8
0,2
   2.1 - Serviços TIC
0,5
0,1
   2.2- Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias
2,8
0,1
3 - Serviços profissionais, administrativos e complementares
3,5
0,8
   3.1 - Serviços técnico-profissionais
1,1
0,1
   3.2 - Serviços administrativos e complementares
4,4
0,7
4 - Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio
2,8
0,9
   4.1 - Transporte terrestre
0,9
0,2
   4.2 - Transporte aquaviário
24,6
0,4
   4.3 - Transporte aéreo
4,4
0,1
   4.4 - Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio
2,5
0,2
5 - Outros serviços
-0,8
0,0
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.
(1) Base 2011=100

O segmento de Serviços prestados às famílias teve variação nominal de 2,5% em julho sobre igual mês do ano anterior. Em junho não houve variação significativa (0,0%) e em maio houve recuo de -1,3%. O acumulado no ano ficou em 3,0% e em 12 meses, 4,8%. As duas atividades do segmento, Serviços de alojamento e alimentação e Outros serviços prestados às famílias cresceram 1,8% e 7,7%, respectivamente. Esta segunda atividade inclui: atividades artísticas e de espetáculos; atividades esportivas, de recreação e lazer (exceto clubes); lavanderias e toalheiros; cabeleireiros e atividades de tratamento de beleza; atividades funerárias e relacionadas; outros serviços pessoais (clínicas de estética, serviços de alojamento, higiene e adestramento de animais domésticos, serviços de engraxates e carregadores de malas etc.); atividades de apoio à educação e de educação continuada (cursos de idiomas, de esportes, arte e cultura, preparatórios para concursos etc.).

Os Serviços de informação e comunicação tiveram variação nominal de 0,8% em julho, sempre na comparação com igual mês do ano anterior, contra -1,7% em junho e -0,8% em maio. A variação acumulada no ano foi nula (0,0%) e em 12 meses, 0,4%. Os Serviços de tecnologia da informação e comunicação-TIC, que abrangem os serviços de telecomunicações e os de tecnologia da informação, variaram 0,5% e os Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias, 2,8%.

O segmento de Serviços profissionais, administrativos e complementares apresentou variação de 3,5% em julho, inferior às variações de junho (5,9%) e maio (5,5%), como mostra o Gráfico 4. A variação acumulada no ano ficou em 5,6% e em 12 meses, 7,3%. Os Serviços técnico-profissionais, correspondentes aos serviços intensivos em conhecimento, cresceram 1,1% e os Serviços administrativos e complementares, que abrangem as atividades intensivas em mão-de-obra,cresceram 4,4%.

O segmento Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio teve variação nominal de 2,8% em julho, contra 4,4% em junho e 0,8% em maio. O acumulado no ano ficou em 2,6% e em 12 meses, 3,3%. Por modalidade, os resultados foram: Transporte terrestre (0,9%), Transporte aquaviário (24,6%) e Transporte aéreo(4,4%). A atividade de Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio cresceu 2,5%.

O segmento de Outros serviços teve variação nominal negativa de -0,8% em julho. Em junho e maio as variações foram positivas, 0,3% e 0,4%, respectivamente. O acumulado no ano ficou em 0,3% e em 12 meses, 3,5%. Esse segmento inclui: atividades imobiliárias (intermediação e administração de imóveis próprios e de terceiros); serviços de manutenção e reparação; serviços auxiliares financeiros; serviços auxiliares da agricultura; serviços de esgoto e serviços de coleta, tratamento e disposição de resíduos e recuperação de materiais.

RESULTADOS REGIONAIS

Regionalmente, em relação a julho de 2014, as maiores altas foram em Rondônia (30,8%), Tocantins (12,7%) e Pará (8,3%), e as menores, em Minas Gerais (0,3%), Rio Grande do Sul (1,2%) e Rio de Janeiro (1,4%). Houve variações negativas no Amapá (-12,4%), Maranhão (-4,9%), Bahia (-4,9%), Amazonas (-3,7%), Espírito Santo (-2,9%), Sergipe (-2,2%), Distrito Federal (-1,5%), Pernambuco (-0,7%), Paraíba (-0,6%) e Acre (-0,4%).


Gráfico 7
Taxa de variação da receita nominal do setor de Serviços, por
Unidades da Federação, segundo índice Mês/Igual mês do ano anterior

Dados disponíveis no SIDRA.

 

Comunicação Social
18 de setembro de 2015