Cooperação internacional

Encontro define estratégias para ampliar coleta eletrônica de censos na África

Editoria: IBGE | Pedro Renaux

10/05/2019 15h00 | Atualizado em 10/05/2019 16h06

Representantes dos institutos de estatística e demografia de Cabo Verde e Senegal se reuniram esta semana na sede do IBGE, no Rio de Janeiro (RJ), para discutir estratégias de ampliação dos Centros de Referências em Coleta Eletrônica de Dados na África.

O projeto promove a troca de experiências entre órgãos oficiais de estatística, por meio da parceria entre o IBGE, a Agência Brasileira de Cooperação (ABC) e o Fundo de População das Nações Unidas (Unfpa). No ano passado, o Unfpa elegeu a iniciativa como uma das cinco melhores boas práticas de cooperação Sul-Sul.

No encontro ficou definido que Cabo Verde e Senegal compartilharão a experiência adquirida ao longo do projeto com outros países africanos a partir de novembro deste ano. A Etiópia já sinalizou interesse, o que vai ampliar o alcance do projeto.

“A estratégia é que o repasse do conhecimento seja para um país de língua inglesa ou árabe. As nações capacitadas serão novos centros de referência em coleta eletrônica de dados para o continente”, explica o assessor de Relações Internacionais do IBGE, Roberto Sant’Anna.

imagem1
Cabo Verde e Senegal compartilharão a experiência com outros países - Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias
imagem1
Cabo Verde é o primeiro país africano a realizar um censo digitalizado - Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias
imagem1
Senegal foi o segundo país africano a realizar a coleta eletrônica - Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

A presidente do IBGE, Susana Cordeiro Guerra, disse esperar que o movimento de cooperação Sul-Sul seja fortalecido e ressaltou a importância de se manter um diálogo aberto para avançar em pontos comuns. “[São encontros] que têm tido uma grande efetividade para o IBGE e para os países que são nossos parceiros”, disse no encerramento da reunião.

O projeto de Centros de Referência contribuiu para Cabo Verde ser o primeiro país africano a realizar um censo com coleta totalmente digitalizada, seguido por Senegal, que é o pioneiro entre as nações francófonas da África. “Realizamos um recenseamento em 2013 com coleta eletrônica de dados e que trouxe resultados com qualidade muito superior aos anteriores, além da melhora na disponibilização dos dados”, contou o diretor da Agência Nacional de Estatística e Demografia do Senegal, Mamadou Niang.

Para o vice-presidente do Instituto Nacional de Estatística de Cabo Verde, Celso Herminio Soares Ribeiro, o projeto deu mais autonomia para a realização dos trabalhos do instituto. “Conseguimos ter uma equipe inteiramente interna [do próprio instituto] graças à experiência compartilhada durante as fases de capacitação”.


Palavras-chave: Cooperação internacional, IBGE, África, Cabo Verde, Senegal.