Transmissão de cargo

"Censo é a prioridade", diz nova presidente do IBGE durante cerimônia de posse

Editoria: IBGE, Censo 2020 | Pedro Renaux

25/02/2019 15h31 | Atualizado em 25/02/2019 17h14

A posse de Susana Cordeiro Guerra contou com a presença do ministro da Economia, Paulo Guedes - Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias 

A nova presidente do IBGE, Susana Cordeiro Guerra, tomou posse na sexta-feira (22), em cerimônia realizada em um dos prédios do instituto, na zona norte do Rio de Janeiro (RJ). Em sua primeira fala no cargo, ela reforçou o compromisso com a realização do Censo Demográfico 2020 e mostrou conhecimento sobre a redução do número de servidores públicos na instituição.

“Em oito anos, o IBGE perdeu mais de 30% de seus funcionários e corre o risco de perder mais 30% com os aposentáveis este ano”, disse Susana, que lembrou faltar pouco mais de um ano para o Censo, o maior desafio do instituto. “[O Censo] é uma tarefa herculana, com uma cobertura de 213 milhões de pessoas em 71 milhões de domicílios urbanos e rurais, através da contratação de mais de 240 mil temporários”.

Mesmo com esse cenário, Susana garantiu que os desafios serão enfrentados, e que possui respaldo do ministério da Economia: “em respeito às boas práticas de qualidade e a responsabilidade que são tradição do IBGE, nossa prioridade vai ser o Censo”, disse Susana.

O ministro da Economia, Paulo Guedes, participou da cerimônia e aproveitou sua fala para comentar a excelente reputação do IBGE e os 82 anos de serviços prestados ao país. “O IBGE sempre foi um pano de fundo na vida de todos nós brasileiros, seja nos maus momentos da inflação, com os índices produzidos aqui, seja nos bons momentos de políticas públicas, com base na riqueza de dados que o instituto fornece”.

Guedes disse também que acompanha a carreira de Susana há muitos anos. “Ela tem excelente formação, capacidade técnica, experiência no mundo inteiro, participou de uma grande organização internacional, que também é padrão de excelência”.

A nova presidente garantiu que vai enfrentar os desafios do IBGE - Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias 

A presidente afirmou que o IBGE é o coração da produção de dados e informações que alimentam a maior parte das decisões políticas. Ela disse que o foco de sua gestão combinará preservação com inovação: “vamos potencializar o excelente trabalho já feito pela instituição, para continuarmos a desempenhar com sucesso nossas atividades estatísticas e geocientíficas”.

Entre as propostas de Susana, estão a reavaliação de algumas atividades e o estudo de formas de alavancar novos recursos para a instituição. De acordo com ela, serão experimentados caminhos que promovam a modernização e internacionalização do IBGE.

Presidente reconhece complexidade do instituto

Nas últimas semanas, a presidente se reuniu com o quadro de diretores e coordenadores do IBGE, além de ex-presidentes, para conhecer a complexidade do instituto. “O que marcou em todas essas conversas foi o espírito do ibegeano, ele é contagiante. São servidores que investem o que têm de melhor para cumprir a desafiadora e honrosa missão desta instituição”, disse Susana.

O agora ex-presidente do IBGE, Roberto Olinto Ramos, disse que o instituto vem se modernizando há muitos anos, e já está alinhado às diretrizes do novo governo. “O Censo já é completamente digitalizado, desde 2010, as pesquisas também são digitalizadas. Estamos em um momento de transição, a gente precisa repensar o IBGE, e isso é um desafio bom”, disse Olinto, que vai continuar no instituto em função ainda a ser definida.