Setor de serviços permanece negativo em setembro

17/11/2017 09h00 | Última Atualização: 17/11/2017 09h00

A variação de -0,3% verificada para o setor de serviços em setembro, na série livre de influências sazonais, é menor que os valores encontrados em julho (-0,8%) e agosto (-1,0%) de 2017, indicando estabilidade frente ao mês anterior.

“O recuo de 0,3% no mês de setembro foi influenciado, basicamente, pela queda de 1,8% nos Serviços de informação e comunicação, que vem sendo afetado pela redução da demanda por parte dos consumidores, em especial, da indústria. Essa queda de 0,3% não foi expressiva e deve ser vista como uma estabilização da receita em relação a agosto”, explica o pesquisador do IBGE, Roberto da Cruz Saldanha.

Apesar de os resultados de setembro de 2017 ainda se mostrarem negativos (-3,2%) na comparação com setembro de 2016, a variação acumulada em 12 meses (-4,3%) é a menor variação negativa desde fevereiro de 2016, o que sinaliza uma pequena recuperação do setor. Segundo Saldanha, de maio de 2016 a abril de 2017, a variação acumulada se manteve no patamar de -5,0% e vem reduzindo gradualmente, o que confirma essa pequena recuperação.

Na mesma série, o destaque foi para o segmento de Serviços prestados às famílias (alojamento e alimentação), que cresceram 5,9% em relação ao mês de agosto e 4,6% em relação a setembro de 2016. “Esse crescimento, contudo, se deve ao fato de que em agosto a queda foi muito grande (-4,8%), fazendo com que, na comparação com o mês anterior, esse crescimento fosse mais acentuado. Na realidade, agosto foi um mês atípico, pois setembro manteve o mesmo patamar de julho”, ressalta Saldanha.

O segmento de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (0,3%) também apresentou variação positiva. Em contrapartida, todos os demais segmentos ficaram negativos: Serviços de informação e comunicação (-1,8%); Serviços profissionais, administrativos e complementares (-0,2%) e Outros Serviços (-0,1%).

Texto: Marcelo Benedicto
Arte: Valberto Alves
Imagem: Flickr