10/11/2017 | Última Atualização: 10/11/2017 09:08:51

Índice Nacional da Construção Civil varia 0,16% em outubro

O Índice Nacional da Construção Civil - SINAPI apresentou variação de 0,16% em outubro, ficando 0,11 ponto percentual abaixo dos 0,27% do mês de setembro. Esta foi uma das menores taxas observadas no ano, ficando acima somente do índice registrado no mês de abril, 0,15%. Os últimos doze meses ficaram em 3,75%, resultado abaixo dos 4,25% registrados nos doze meses imediatamente anteriores. Em outubro de 2016 o índice foi significativamente mais alto, 0,64%. Clique aqui para ter acesso à publicação completa.

O custo nacional da construção, por metro quadrado, que em setembro fechou em R$ 1.057,99, em outubro subiu para R$ 1.059,68, sendo R$ 540,58 relativos aos materiais e R$ 519,10 à mão de obra.

A parcela dos materiais apresentou variação de 0,20%, caindo 0,25 ponto percentual em relação à taxa do mês anterior (0,45%). A variação da parcela da mão de obra foi de 0,12%, índice ligeiramente superior ao do mês anterior (0,08%), porém, diferente do mês de outubro de 2016, quando a taxa apresentou alta de 1,23%, devido a reajustes salariais nos estados do Pará, Rio Grande do Sul e São Paulo.

De janeiro a outubro deste ano os acumulados foram 1,78% (materiais) e 4,65% (mão de obra), sendo que em doze meses ficaram em 1,73% (materiais) e 6,00% (mão de obra).

Região Centro-Oeste registra maior variação mensal

Com alta na parcela dos materiais em 3 estados, e com a variação captada na mão de obra em Goiás, consequência de reajuste salarial de acordo coletivo, a Região Centro-Oeste apresentou a maior variação regional em outubro (0,96%). Já a menor taxa ficou com a região Sudeste (0,01%), que apresentou índices negativos para a parcela de materiais no Rio de Janeiro e Espírito Santo.

Nas demais regiões os resultados foram: 0,27% (Norte), 0,09% (Nordeste) e 0,10% (Sul).

Os custos regionais, por metro quadrado, foram para: R$ 1.062,53 (Norte); R$ 983,76 (Nordeste); R$ 1.104,90 (Sudeste); R$ 1.101,80 (Sul) e R$ 1.071,77 (Centro-Oeste).

Goiás registra a maior alta

Decorrente de pressão exercida pelo reajuste salarial do acordo coletivo e de aumento na parcela dos materiais, Goiás, com 2,47%, foi o estado com a mais elevada variação mensal. A seguir veio Roraima, com 1,35%, também sob impacto de reajuste definido em convenção coletiva.

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Outubro/2017

considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do

setor da construção civil


ÁREAS GEOGRÁFICAS
CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS 
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES 
       
BRASIL              1059,68 530,46 0,16 3,14 3,75 
       
REGIÃO NORTE        1062,53 529,42 0,27 2,28 2,37 
Rondônia            1102,66 614,79 0,48 3,47 3,07 
Acre                1170,03 621,06 0,48 3,80 4,60 
Amazonas            1030,32 504,44 0,37 4,65 4,25 
Roraima             1109,99 460,98 1,35 2,17 2,17 
Pará                1043,33 500,09 0,01 0,14 -0,01 
Amapá               1052,09 511,03 0,34 3,54 3,64 
Tocantins           1122,18 590,04 0,38 3,81 6,58 
       
REGIÃO NORDESTE     983,76 531,41 0,09 3,70 4,57 
Maranhão            1013,36 533,83 -0,22 4,44 5,00 
Piauí               1009,55 670,88 0,04 2,16 5,71 
Ceará               986,33 569,64 -0,21 3,36 3,71 
Rio Grande do Norte 939,93 473,78 0,06 3,40 6,59 
Paraíba             1035,15 572,38 0,70 4,07 4,35 
Pernambuco          958,46 512,45 0,12 2,47 5,43 
Alagoas             981,91 490,66 0,58 4,03 4,08 
Sergipe             925,67 491,99 -0,25 2,39 2,21 
Bahia               980,15 518,77 0,22 4,59 4,18 
       
REGIÃO SUDESTE      1104,90 528,84 0,01 2,91 2,94 
Minas Gerais        1000,04 550,36 0,01 4,29 4,14 
Espírito Santo      965,87 535,69 -0,13 2,14 4,57 
Rio de Janeiro      1188,32 541,59 -0,15 3,51 3,62 
São Paulo           1145,72 517,58 0,08 2,03 1,95 
       
REGIÃO SUL          1101,80 526,89 0,10 3,19 5,40 
Paraná              1076,56 514,88 0,14 1,86 6,23 
Santa Catarina      1196,55 648,17 0,31 5,58 6,26 
Rio Grande do Sul   1052,86 477,97 -0,20 2,95 3,09 
       
REGIÃO CENTRO-OESTE 1071,77 547,20 0,96 3,28 3,89 
Mato Grosso do Sul 1056,21 496,60 0,11 3,85 4,16 
Mato Grosso         1061,16 605,43 0,61 1,50 1,58 
Goiás               1062,33 561,14 2,47 4,45 4,52 
Distrito Federal    1109,80 490,07 -0,01 3,61 5,83 
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.

SISTEMA NACIONAL DE PESQUISA DE CUSTOS E ÍNDICES DA CONSTRUÇÃO CIVIL

Outubro/2017

não considerando a desoneração da folha de pagamento de empresas do

setor da construção civil


ÁREAS GEOGRÁFICAS
CUSTOS
MÉDIOS
NÚMEROS
ÍNDICES
VARIAÇÕES PERCENTUAIS 
R$/m2 JUN/94=100 MENSAL NO ANO 12 MESES 
       
BRASIL              1139,52 570,14 0,15 3,24 3,90 
       
REGIÃO NORTE        1137,36 566,71 0,27 2,49 2,60 
Rondônia            1178,99 657,29 0,44 3,51 3,12 
Acre                1251,50 664,17 0,45 3,88 4,60 
Amazonas            1102,04 539,77 0,34 4,90 4,53 
Roraima             1195,42 496,44 1,46 2,31 2,27 
Pará                1117,33 535,35 0,01 0,30 0,16 
Amapá               1124,13 545,89 0,31 3,84 3,93 
Tocantins           1200,50 631,11 0,36 4,05 7,05 
       
REGIÃO NORDESTE     1053,61 569,06 0,09 3,76 4,69 
Maranhão            1083,82 571,16 -0,20 4,58 5,11 
Piauí               1077,40 715,89 0,04 2,04 5,90 
Ceará               1053,66 608,24 -0,20 3,31 3,64 
Rio Grande do Norte 1003,94 505,93 0,08 3,21 6,72 
Paraíba             1106,99 612,28 0,66 4,24 4,49 
Pernambuco          1027,17 548,94 0,11 2,56 5,66 
Alagoas             1049,91 524,60 0,53 4,08 4,12 
Sergipe             991,40 526,97 -0,23 2,56 2,39 
Bahia               1053,66 557,37 0,20 4,72 4,34 
       
REGIÃO SUDESTE      1192,90 570,81 0,01 3,03 3,07 
Minas Gerais        1073,76 590,84 0,01 4,49 4,35 
Espírito Santo      1039,56 576,71 -0,12 2,28 4,83 
Rio de Janeiro      1286,22 586,40 -0,14 3,56 3,65 
São Paulo           1239,50 559,89 0,08 2,13 2,07 
       
REGIÃO SUL          1189,18 568,58 0,09 3,28 5,71 
Paraná              1165,21 557,15 0,13 1,98 6,74 
Santa Catarina      1294,81 701,20 0,29 5,70 6,56 
Rio Grande do Sul   1127,62 511,99 -0,19 3,06 3,19 
       
REGIÃO CENTRO-OESTE 1146,71 585,34 0,97 3,31 3,95 
Mato Grosso do Sul 1129,03 530,48 0,10 3,97 4,25 
Mato Grosso         1135,80 647,98 0,57 1,39 1,46 
Goiás               1136,87 600,10 2,56 4,60 4,68 
Distrito Federal    1187,16 524,44 -0,03 3,69 6,09 
FONTE: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Índices de Preços.