IBGE lança novo programa de transformação de coordenadas

Já está disponível para download gratuito na área de “Geociências” do site do IBGE ...

Editoria: Geociências

01/12/2008 09h01 | Atualizado em 19/03/2018 14h45

Já está disponível para download gratuito na área de “Geociências” do site do IBGE (www.ibge.gov.br) o ProGriD, um software que transforma coordenadas (latitude, longitude) nos referenciais SAD 69 e Córrego Alegre para o novo sistema Sirgas2000, adotado como referencial geodésico oficial do país em fevereiro de 2005. Para apresentar a ferramenta digital, detalhar sua metodologia e orientar os usuários a utilizá-la, o instituto promove o lançamento do ProGriD, segunda-feira (1º de dezembro), a partir de 14h, no auditório da Unidade Estadual do IBGE no Rio de Janeiro, av. Beira Mar, 436, 14º andar, Centro, Rio de Janeiro – RJ. A programação detalhada do evento está abaixo.
O ProGriD substituirá o TCGeo, lançado pelo IBGE em 2005 e atualmente em uso, e apresentará resultados mais precisos e com mais opções de referenciais. Para fazer o download do ProGriD, o usuário deve acessar o endereço https://www.ibge.gov.br/home/geociencias/geodesia.
Na ocasião do lançamento do ProGriD, também será lançado o terceiro número da revista “Ponto de Referência”, com artigos relacionados à adoção do referencial Sirgas2000 e com foco especial na questão ambiental.

Lançamento do ProGriD

Local: Auditório da Unidade Estadual do IBGE no Rio de Janeiro, av. Beira Mar, 436, 14º andar, Centro, Rio de Janeiro – RJ
Programação:
14:00 – Abertura e lançamento da Revista Ponto de Referência
Luiz Paulo Souto Fortes – coordenador do PIGN no Brasil e diretor de Geociências do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística - IBGE
Marcelo Carvalho dos Santos – coordenador do PIGN no Canadá e prof. dr. da Universidade de New Brünswick – UNB
Valéria Oliveira Henrique de Araújo – coordenadora do Grupo de Divulgação – GT1 e Assessora da Coordenação de Cartografia do IBGE
14:30 – Metodologia/Demonstração/Ferramentas do ProGriD
Leonardo Castro de Oliveira – coordenador do Grupo de Conversão entre Referenciais - GT 3 e prof. dr. do Instituto Militar de Engenharia – IME
Marcos Ferreira dos Santos – Engenheiro cartógrafo e gerente do Projeto Royalties de Petróleo da Coordenação de Geodésia do IBGE
Marcelo Carvalho dos Santos – coordenador do PIGN no Canadá e prof. dr. da Universidade de New Brünswick - UNB
15:15 – Perguntas
15:30 - Encerramento

Saiba mais sobre o Sirgas2000

Em 25 de fevereiro de 2005, o Sistema de Referência Geocêntrico para as Américas (Sirgas2000) foi oficialmente adotado como a nova referência para o Sistema Geodésico Brasileiro (SGB) e para o Sistema Cartográfico Nacional (SCN).
Isso significa que, a partir de 2014, após um período de dez anos de transição, serão consideradas oficiais apenas as informações produzidas tendo o Sirgas2000 como sistema geodésico. Essa decisão foi tomada no âmbito do Projeto Mudança do Referencial Geodésico (PMRG), criado em 2000, coordenado pelo IBGE e constituído por grupos de trabalho com representantes de instituições governamentais e privadas, universidades e usuários que lidam com informações georreferenciadas.
Um sistema geodésico de referência é um sistema coordenado, utilizado para representar características terrestres, sejam elas geométricas ou físicas. Na prática, serve para a obtenção de coordenadas (latitude e longitude), que possibilitam a representação e localização em mapa de qualquer elemento da superfície do planeta.
A diferença fundamental entre o Sirgas2000 e os antigos referenciais utilizados no Brasil é que estes são topocêntricos, ou seja, o ponto de origem e orientação dos sistemas está na superfície da Terra; enquanto o Sirgas2000 tem concepção geocêntrica, isto é, adota como referencial um ponto calculado computacionalmente no centro da Terra. Adotando-se o referencial geocêntrico, é possível fazer uso direto da tecnologia de GPS (Global Positioning System, ou Sistema Global de Posicionamento), uma importante ferramenta para a atualização de mapas, controle de frota de empresas transportadoras, navegação aérea, marítima e terrestre em tempo real. Além disso, a adoção desse novo sistema pela América Latina contribuirá para o fim de uma série de problemas originados na discrepância entre as coordenadas geográficas apresentadas pelo sistema GPS e aquelas encontradas nos mapas utilizados atualmente no continente.
Entre as coordenadas produzidas pelos antigos referenciais e o Sirgas2000 existe um deslocamento espacial variável, dependendo do local onde se está. A distância média para o mesmo ponto em SAD 69 e Sirgas2000 é algo em torno de 65 metros.