06/12/2005 | Última Atualização: 06/12/2005 08:01:00

Produção de soja cai 4,56% em 2004, mas Brasil ainda é segundo maior produtor mundial

Em 2004, a produção nacional de soja totalizou 49.549.941 toneladas _ uma queda de 4,56% em relação à de 2003 (51.919.440 toneladas), conseqüência de condições climáticas desfavoráveis no final do ano.

Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Agropecuária, Produção Agrícola Municipal, 2004.

São Paulo é responsável por quase 58% da produção nacional de cana-de-açúcar

Em 2004, a produção nacional de cana-de-açúcar teve um aumento de 4,85% em relação ao ano anterior, alcançando 415 205 835 t, o que pode ser creditado ao comportamento dos preços do álcool e do açúcar. No estado de São Paulo, principal produtor nacional, com cerca de 57,69% da produção do país, houve um crescimento de 5,06%, totalizando 239 527 890 toneladas. Dos 10 maiores municípios produtores do Brasil, sete pertencem a essa Unidade da Federação. O principal município produtor brasileiro é Morro Agudo, situado na região nordeste do estado.

A cana-de-açúcar é a segunda cultura, em termos de valor de produção, e vem ganhando novos investimentos nos últimos anos. A recuperação do preço do álcool foi impulsionada em razão de uma maior demanda dos carros movidos a combustíveis flex fuel (gasolina/álcool). Outro fato importante: as exportações de álcool combustível foram maiores que as de álcool industrial pela primeira vez na história, correspondendo a cerca de 60% do total. Também no que diz respeito ao setor externo, o parecer favorável ao pedido de salvaguardas do Brasil na Organização Mundial do Comércio (OMC) contra os subsídios concedidos na União Européia (UE) para exportação do açúcar, contribuiu para esse quadro positivo.



Produção de arroz bate recorde nacional e Rio Grande do Sul responde por quase metade do total

A colheita de 13 277 008 toneladas de arroz, em 2004, representou um novo recorde nacional. Houve aumento de 28,47% em relação à produção do ano anterior. A Região Sul, a principal produtora de arroz, colheu 7 531 984 toneladas, que correspondeu a 56,73% do total produzido no País. O Rio Grande do Sul, principal estado produtor, deteve 47,74% do total produzido, tendo sua produção apresentado um crescimento de 34,94%.

A Região Centro-Oeste, a segunda maior produtora de arroz, teve sua produção aumentada em 60,56%, entre 2003 e 2004, alcançando cerca de 21% do total produzido no País. O estado do Mato Grosso é o principal produtor na região e manteve-se na segunda colocação no ranking nacional dos estados produtores de arroz.

O principal município produtor de arroz é Uruguaiana no Rio Grande do Sul. Em 2004, foram colhidas neste município 541 208 toneladas, que equivaleram a 8,54% do total estadual, e a 4,08% do total produzido no País. Em conjunto, os dez maiores municípios produtores de arroz do País, detiveram cerca de 23% da produção nacional, e 48% da produção gaúcha de 2004.



Milho apresenta queda de 13,53% na produção

Produto que obteve o maior aumento em 2003 (34%), o milho apresentou queda de 13,53% na produção em 2004, somando 41 787 558 milhões de toneladas. A cultura do milho é a de maior abrangência geográfica: está presente em todas as Unidades da Federação, mas apenas oito estados concentram cerca de 90% da produção nacional. São os seguintes, de acordo com sua produção em 2004: Paraná (10 934 582 toneladas), Minas Gerais (5 952 172 toneladas), São Paulo (4 647 240 toneladas), Goiás (3 523 279 toneladas), Mato Grosso (3 408 968 toneladas), Rio Grande do Sul (3 376 862 toneladas), Santa Catarina (3 257 770 toneladas) e Mato Grosso do Sul (2 374 015 toneladas).

O Paraná, o maior produtor nacional, contribuiu com aproximadamente 26% da produção de 2004. O Rio Grande do Sul que foi o segundo maior produtor em 2003, passou, no ano seguinte, à sexta posição no ranking nacional dos estados produtores de milho. Lá, além da redução da área plantada em mais de 8%, houve um período de estiagem que determinou redução da área colhida e do rendimento médio da lavoura, o que levou à obtenção de uma produção de 3 376 862 toneladas, a menor dos últimos 25 anos.

Embora a Região Centro-Oeste tenha apresentado uma redução de 5,79% na produção de milho, os municípios goianos de Jataí e Chapadão do Céu, mato-grossenses de Sapezal, Sorriso, Lucas do Rio Verde e Nova Mutum e os de Maracaju e Dourados no Mato Grosso do Sul, estão entre os dez maiores produtores do cereal do País.



Minas Gerais e Espírito Santo respondem por mais de 70% da produção nacional de café

Maior produtor mundial de café, o Brasil obteve, em 2004, uma produção de 2 465 710 toneladas de grãos (41 milhões de sacas de 60 kg), o que representa um aumento de 24,09% em relação à do ano anterior. O Sudeste, onde se concentram as maiores regiões cafeeiras, foi responsável por 81,77% da produção nacional. Destacou-se o estado de Minas Gerais, que em 2004 apresentou um crescimento de 38,47%, com uma safra de 1 228 124 toneladas (2,04 milhões de sacas de 60 kg ) e uma participação de 49,81% na produção total do País. No estado, os principais municípios foram Três Pontas, Patrocínio e Nepomuceno.

O Estado do Espírito Santo, segundo maior produtor terminou o ano com uma produção total de 514 263 toneladas (8,57 milhões de sacas), resultado 7,97% superior a 2003. O estado participa em 20,86% da produção nacional deste ano. Os municípios maiores produtores são: Jaguaré, Sooretama e Brejetuba.



Os dois estados, Minas Gerais e Espírito Santo, respondem , portanto, a quase 71% da produção nacional. O estado de São Paulo representa 10,48%; Paraná, 6,01%; Bahia, 5,26% e Rondônia, 4,12%. Acre, Amazonas, Pará, Ceará, Alagoas, Paraíba, Pernambuco, Rio de Janeiro, Mato Grosso do Sul, Mato Grosso, Goiás, Tocantins e o Distrito Federal também informaram safras de café para 2004, embora com expressão quantitativamente reduzida no total Brasil.

Região Sudeste concentra 84,11% da produção de laranja do País

Em 2004, o Brasil produziu 18 313 717 toneladas de laranja, o equivalente a 448 milhões de caixas de 40,8 kg, o que representa um aumento de 8,25% em relação a 2003. A Região Sudeste participou com 84,11% da produção da fruta, sendo que só São Paulo, maior estado produtor, teve participação de 80,36% do total do País (14 717 790 toneladas ou 361 milhões de caixas)

Os 26 demais estados brasileiros também possuem suas produções de laranja, embora quantitativamente quase todos tenham participações muito reduzidas no total País. O segundo estado produtor é a Bahia e o terceiro Sergipe, ambos com cerca de 4% da produção nacional.

Dos 10 municípios maiores produtores de laranja, 9 estão localizados em São Paulo, nas principais regiões produtoras do Estado. O 7º lugar não pertence ao maior estado produtor. É o município de Rio Real, localizado na Bahia, reconhecido pela qualidade de suas frutas para mesa.



Apesar de a laranja ser uma fruta muito consumida ao natural pelos brasileiros, é necessário ressaltar que seu destino principal é o esmagamento para produção de suco concentrado e congelado, que o País exporta desde a década de 60. O Brasil é o primeiro produtor da fruta e o principal exportador do suco, e tem os EUA, com a produção concentrada na Flórida, como seu maior concorrente.

Em 2004, a produção nacional de soja totalizou 49.549.941 toneladas _ uma queda de 4,56% em relação à de 2003 (51.919.440 toneladas), conseqüência de condições climáticas desfavoráveis no final do ano. Mesmo assim, o Brasil foi o segundo maior produtor de soja, responsável por 24% do total mundial. Nacionalmente, cerca de 30% do valor de toda a produção agrícola derivou da soja, que é hoje a cultura com maior área plantada (21.601.340 hectares). O Algodão Herbáceo apresentou um grande crescimento (72,71%), devido ao aumento de 61,27% da área cultivada, em função de bons preços praticados no mercado.

Esses dados se destacam na pesquisa sobre Produção Agrícola Municipal de 2004, que traz resultados das lavouras temporárias e permanentes, por produto, segundo as Grandes Regiões e as Unidades da Federação. O CD-ROM que acompanha a publicação traz ainda tabelas por mesorregiões, microrregiões geográficas e municípios. Há uma novidade em relação aos anos anteriores, que é uma tabela-resumo que concentra todas as informações das lavouras, ordenadas pelo valor decrescente de área colhida.

Entre os 61 produtos analisados na publicação, destacam-se os 15 abaixo, que representam mais de 91% do valor da produção agrícola brasileira de 2004.



Mato Grosso já responde por 29,30% da produção nacional de soja

O cultivo da soja está presente em 19 Unidades da Federação, sendo que na safra 2004, os estados de Roraima e de Alagoas registraram produções da oleaginosa pela primeira vez. Mato Grosso, mesmo tendo enfrentado excesso de chuvas e focos da ferrugem asiática, consolidou sua posição de principal produtor nacional, ao responder por 29,30% da produção nacional.

Entre os dez municípios maiores produtores de soja em 2004, sete são do estado do Mato Grosso, dois de Goiás, e um da Bahia. Estes municípios concentraram 17,32% do total produzido no País. O município de Sorriso, no Mato Grosso, é o maior produtor brasileiro de soja. Seguem-no nas 2ª e 3ª colocações, os também mato-grossenses Sapezal e Campo Novo do Parecis. Os sete municípios mato-grossenses maiores produtores de soja em 2004 concentraram 13,25% do total produzido no País, e 45,25% do total produzido no Estado.



Em 2004, com a produção de 49 549 941 toneladas de soja em todo o Brasil, houve frustração na expectativa inicial de que fossem colhidas cerca de 58,9 milhões de toneladas, dado que a área plantada apresentara um crescimento de 12,56%, em virtude das excelentes cotações do complexo soja, do aumento da demanda por parte dos países asiáticos e do bom nível de capitalização dos sojicultores, além do fato de a safra norte-americana ter apresentado significativa quebra. Porém, as condições climáticas vigentes, que no início do ciclo eram normais, mudaram a partir de dezembro. Os estados sulinos foram afetados por uma forte estiagem, e os estados de Mato Grosso, Goiás e Minas Gerais registraram excessivas chuvas que resultaram em perdas expressivas nesta lavoura.

Produção de algodão cresce 72,71% e Bahia tem o maior município produtor

A produção brasileira de algodão herbáceo de 2004 foi de 3 798 480 toneladas, representando um aumento de 72,71 % em relação ao ano anterior. Este aumento ocorreu, sobretudo, devido ao aumento da área cultivada em 61,27%, conseqüência dos bons preços praticados no mercado. A expansão se deu, principalmente, no estado do Mato Grosso, responsável por metade da produção brasileira, com a inserção do grande produtor à cultura do algodão, utilizando novas áreas e tecnologia, que proporcionaram um grande aumento de produtividade, passando de 1 390 kg/ha em 1994, para 3 302 kg/ha em 2004.

Analisando a distribuição municipal de algodão herbáceo, verifica-se que São Desidério (Bahia) foi o maior produtor, responsável por cerca de 45% da produção baiana e 8% da produção brasileira. No Mato Grosso, no entanto, há um melhor rendimento médio que na Bahia, devido à distribuição pluviométrica mais favorável ao longo do ciclo da cultura.

Mapa 1. Produção de algodão herbáceo no Brasil, com destaque para os principais municípios produtores - 2004