Volume de serviços cai 3,5% em agosto

15/10/2015 10h11 | Atualizado em 06/06/2017 11h26

 

Período
Volume
Receita Nominal
Agosto 2015 / Agosto 2014
-3,5%
1,0%
Acumulado em 2015
-2,6%
2,1%
Acumulado em 12 meses
-1,1%
3,0%

Em agosto, o setor de serviços do país registrou variação negativa de 3,5% no volume de serviços, na comparação com igual mês do ano anterior, contra -4,2% de julho e -2,2% de junho, mantendo a sequência de resultados negativos registrados em 2015, à exceção de março, que registrou crescimento de 2,3%. A taxa acumulada no ano ficou em -2,6% e em 12 meses, -1,1%.

Na comparação com agosto de 2014, apenas o segmento de Serviços de informação e comunicação apresentou crescimento no volume de serviços (0,2%). As variações negativas, por segmento foram: Serviços prestados às famílias (-8,2%), Serviços profissionais, administrativos e complementares (-5,2%), Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio (-4,4%) e Outros serviços (-12,5%). O agregado especial das Atividades turísticas registrou crescimento de 0,1%.

Nesta mesma comparação, a receita nominal registrou crescimento de 1,0%, configurando-se como a segunda menor taxa da série iniciada em 2012, sendo a de fevereiro de 2015 (0,9%), a menor. A taxa acumulada da receita nominal no ano atingiu 2,1% e em 12 meses, 3,0%.

Esta é a primeira vez que o IBGE divulga os índices de volume, a desagregação da atividade de 'Serviços de tecnologia da informação e comunicação - TIC' em duas novas séries: “Telecomunicações” e “Serviços de tecnologia da informação”, e o Índice de Atividades Turísticas – IATUR. As séries dos novos índices estão disponíveis de forma retroativa a janeiro de 2012. Clique aqui para acessar a publicação completa.


Tabela 1
INDICADORES DE VOLUME DOS SERVIÇOS, SEGUNDO GRUPOS DE ATIVIDADES
BRASIL - AGOSTO 2015

 

Atividades Mês/Igual Mês do Ano Anterior Acumulado
Taxa de Variação (%) Taxa de Variação (%)
JUN
JUL
AGO
No Ano
12 Meses
Brasil
- 2,2
- 4,2
- 3,5
- 2,6
- 1,1
1 - Serviços prestados às famílias
- 2,6
- 1,9
- 8,2
- 4,8
- 4,3
   1.1 - Serviços de alojamento e alimentação
- 2,7
- 2,0
- 8,7
- 5,3
- 4,7
   1.2 - Outros serviços prestados às famílias
- 1,6
- 0,9
- 5,2
- 1,9
- 2,0
2 - Serviços de informação e comunicação
- 0,8
- 0,2
0,2
1,2
1,7
   2.1 - Serviços TIC
2,4
- 0,5
- 0,5
2,1
2,6
      2.11 - Telecomunicações
2,0
- 0,9
- 1,4
1,2
1,8
      2.12 - Serviços de tecnlogia da informação
3,7
0,7
2,6
5,6
5,7
   2.2- Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias
- 18,9
2,0
5,3
- 5,0
- 4,0
3 - Serviços profissionais, administrativos e complementares
- 1,3
- 3,9
- 5,2
- 2,4
- 1,0
   3.1 - Serviços técnico-profissionais
- 6,3
- 7,1
- 5,3
- 8,8
- 6,4
   3.2 - Serviços administrativos e complementares
0,5
- 2,8
- 5,1
- 0,2
0,9
4 - Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio
- 3,6
- 8,5
- 4,4
- 5,6
- 3,2
   4.1 - Transporte terrestre
- 7,4
- 10,7
- 10,5
- 9,3
- 5,8
   4.2 - Transporte aquaviário
21,1
24,2
20,9
18,7
16,5
   4.3 - Transporte aéreo
6,0
- 18,3
17,4
1,1
3,2
   4.4 - Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio
- 2,0
- 4,6
- 2,8
- 3,8
- 2,6
5 - Outros serviços
- 7,2
- 8,9
- 12,5
- 8,2
- 5,8
Atividades turísticas
- 0,2
- 5,7
0,1
- 2,4
- 1,6
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio.
 

O segmento de Serviços prestados às famílias apresentou uma retração de 8,2% no volume de serviços em agosto sobre igual mês do ano anterior, a segunda maior retração da série iniciada em janeiro de 2012, (a maior retração, de 9,1%, foi registrada em maio de 2015), contra -1,9% de julho e de -2,6% de junho, mantendo a série constante de variações negativas de volume a partir de maio de 2014. A variação acumulada no ano ficou em -4,8% e, em 12 meses, -4,3%. Os Serviços de alojamento e alimentação e Outros serviços prestados às famílias apresentaram retração de 8,7% e 5,2%, respectivamente.

Os Serviços de informação e comunicação registraram crescimento no volume de serviços de 0,2% em agosto, na comparação com igual mês do ano anterior, contra -0,2% de julho e -0,8% de junho. A variação acumulada no ano ficou em 1,2% e em 12 meses, 1,7%. Os Serviços de tecnologia da informação e comunicação-TIC apresentaram variação negativa de 0,5% no volume de serviços, com destaque para Telecomunicações, com -1,4%, e Serviços de tecnologia da informação, com crescimento de 2,6%. Os Serviços audiovisuais, de edição e agências de notícias, apresentaram crescimento de 5,3% no volume de serviços.

O segmento de Serviços profissionais, administrativos e complementares apresentou queda no volume de serviços de 5,2% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano anterior, contra uma queda de 3,9% em julho e de 1,3% de junho. A variação de volume acumulada no ano ficou em -2,4% e em 12 meses, -1,0%. Os Serviços técnico-profissionais, correspondentes aos serviços intensivos em conhecimento, apresentaram recuo de 5,3% em volume de serviços e os Serviços administrativos e complementares, que abrangem as atividades intensivas em mão-de-obra, recuo de 5,1%.

O segmento de Transportes, serviços auxiliares dos transportes e correio registrou variação negativa de volume de 4,4% em agosto, na comparação com o mesmo mês do ano anterior. Em julho e junho, o segmento registrou variações negativas de 8,5% e 3,6%, respectivamente. A variação de volume acumulada no ano ficou em -5,6% e, em 12 meses, -3,2%. Por modalidade, os resultados de volume foram: Transporte terrestre, com -10,5%, Transporte aquaviário, com 20,9% e Transporte aéreo, com 17,4%. A atividade de Armazenagem, serviços auxiliares dos transportes e correio apresentou decréscimo de 2,8%.

O segmento de Outros serviços apresentou variação de volume de -12,5% em agosto, contra -8,9% em julho e -7,2% em junho. A variação acumulada no ano ficou em -8,2% e em 12 meses, -5,8%.

As Atividades turísticas registraram crescimento de 0,1% em agosto, na comparação com agosto de 2014, contra um recuo de 5,7% em julho e 0,2% em junho. O crescimento acumulado no ano ficou em -2,4% e o acumulado em 12 meses, em -1,6%.

Resultados regionais

Regionalmente, em relação a agosto de 2014, apenas 6 Unidades da Federação apresentaram variações positivas de volume: Rondônia (9,6%), Roraima (5,7%), Mato Grosso (3,8%), Mato Grosso do Sul (3,3%), Rio Grande do Norte (2,6%) e Distrito Federal (2,1%). As maiores variações negativas de volume foram observadas no Amapá (-14,2%), Maranhão (-12,2%) e Sergipe (-7,8%).

 


Gráfico 8
Taxa de variação de volume dos Serviços, por Unidades da
Federação, segundo índice Mês/Igual mês do ano anterior
Fonte: IBGE, Diretoria de Pesquisas, Coordenação de Serviços e Comércio

 

Comunicação Social
15 de outubro de 2015