Anuário 2020

IBGE celebra 85 anos e lança 80ª edição do Anuário Estatístico do Brasil

Editoria: IBGE | Alerrandre Barros

28/05/2021 16h00 | Última Atualização: 28/05/2021 17h00

Como parte das comemorações dos seus 85 anos, o IBGE lança hoje (28) a 80ª edição do Anuário Estatístico do Brasil 2020. A publicação apresenta uma visão geral do país, com informações territoriais, ambientais, demográficas e socioeconômicas, a partir de levantamentos, estudos e pesquisas realizadas pelo Instituto e outras instituições dedicadas ao conhecimento sistemático da nação. O e-book está disponível aqui.

“Essa edição traz, entre outros temas relevantes, novidades, como os números de casos e óbitos por Covid-19 registrados, no país, no ano passado. Também fornece detalhes sobre cobertura e uso da terra, a suscetibilidade a eventos de deslizamentos, temas que retratam o quadro natural do país. É uma obra de referência, com caráter representativo, feita com fontes fidedignas que acompanham as mudanças na sociedade”, afirma a gerente do Anuário, Isabela Torres.

A publicação é dividida em sete seções. A primeira reúne dados como a evolução histórica da criação dos municípios brasileiros, fronteiras com indicação dos países limítrofes e o Oceano Atlântico e ainda as informações detalhadas de cada município, como a distância em linha reta das capitais. Também traz dados sobre os recursos naturais e o meio ambiente, como o número de unidades locais e de pessoal ocupado na atividade de reciclagem.

Destaca-se nessa seção a caracterização físico-biótica relacionada à geologia, geomorfologia, pedologia e vegetação, os tipos de cobertura e uso da terra e sua distribuição nos biomas brasileiros e os riscos a eventos de deslizamentos. Os dados estão disponíveis em tabelas e gráficos.

Já a segunda seção do anuário trata das características demográficas e socioeconômicas da população, com resultados como os da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) Contínua, que gera dados sobre educação, migração e características das famílias, por exemplo.

Ainda nessa seção, no tema Saúde, são disponibilizadas informações provenientes do Ministério da Saúde e das Secretarias Estaduais e Municipais de Saúde sobre os números e incidências de casos e óbitos por Covid-19 no primeiro ano de pandemia no país. As informações estão separadas por grandes regiões e as unidades da federação.

No que se refere à produção agrícola, extração vegetal, silvicultura, efetivos da pecuária e atividade avícola e produção animal, o anuário apresenta, na seção três, dados de pesquisas agropecuárias, como a Pesquisa de Estoque, a Pesquisa Agrícola Municipal e a Produção da Extração Vegetal e da Silvicultura.

A atividade industrial é retratada na quarta seção, que reúne índices sobre produção, venda e dados sobre energia elétrica, gás e petróleo, entre outras informações que podem ser encontradas, por exemplo, na Pesquisa Industrial Anual.

A quinta seção traz resultados de pesquisas sobre comércio, transportes, comunicações e outros serviços, como a Pesquisa Anual de Comércio e a Pesquisa Anual de Serviços. A seção seis trata de índices, preços, custos e salários no país, trazendo informações, por exemplo, do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo (IPCA).

O anuário reúne, na seção sete, dados macroeconômicos, das Finanças Públicas, do Sistema Monetário e Financeiro, do Setor Externo e das Contas Nacionais. Houve a inclusão de informações sobre posição de investimento internacional, como transações entre residentes e não residentes, reservas internacionais e dívidas externas, além dos estoques de ações e investimentos diretos. Os dados foram fornecidos pelo Banco Central.

Cada tema do Anuário Estatístico do Brasil 2020 inclui um glossário com os conceitos investigados nas pesquisas e referências padronizadas das fontes consultadas. O guia de leitura orienta a consulta à publicação, facilitando, assim, a compreensão de seu conteúdo. Como coordenador do Sistema Estatístico Nacional, o IBGE é o editor da publicação.