IPCA-15

Com oitavo aumento da energia elétrica, prévia da inflação fica em 0,09% em setembro

Editoria: Estatísticas Econômicas | Adriana Saraiva

24/09/2019 09h00 | Atualizado em 25/09/2019 09h04

Energia elétrica subiu 2,31% em setembro e acumulou alta de 11,55% desde fevereiro - Foto: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias

Pressionado pelo oitavo aumento consecutivo da energia elétrica, o Índice de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15) de setembro ficou em 0,09%, próximo ao registrado em agosto (0,08%). Com o resultado, a prévia da inflação acumula alta de 2,60% no ano e de 3,22% em 12 meses, segundo os resultados divulgados hoje pelo IBGE.

O grupo habitação respondeu pela maior variação de preços, de 0,76% e, também, pelo maior impacto no resultado do mês (0,12 p.p), influenciado pela alta de 2,31% na energia elétrica. A bandeira tarifária vermelha patamar 1 adicionou R$ 4,00 na conta de luz para cada 100 quilowatts-hora consumidos. Com o aumento, a energia elétrica já acumula alta de 11,55% de fevereiro a setembro.

 

Em razão da entrada das coleções de primavera, o grupo vestuário também pressionou a inflação, voltando a crescer 0,58% em setembro após cair 0,07% em agosto.

Já os preços do grupo transportes subiram 0,09%, vindo de uma queda de 0,78% em agosto. O resultado foi influenciado, principalmente, pela alta de 0,35% dos combustíveis. Os preços do etanol, do gás veicular e do óleo diesel subiram, respectivamente, 2,15%, 0,96% e 0,58%, enquanto a gasolina teve recuo menos intenso, de -0,06%.

Na direção contrária dos demais grupos, os preços de alimentos e bebidas tiveram deflação de 0,34%, puxando o IPCA-15 para baixo pelo segundo mês seguido. O maior impacto individual negativo veio do tomate (-24,83%). Também contribuíram as reduções nos preços da cenoura (-16,11%), hortaliças e verduras (-6,66%), frutas (-0,93%) e carnes (-0,38%).


Palavras-chave: IPCA-15, Prévia da inflação, Energia, Habitação, Transportes, Combustíveis, Alimentos, Tomate, Setembro.