Sinapi

São Paulo puxa alta de 0,68% nos custos da construção civil em julho

Editoria: Estatísticas Econômicas | Marília Loschi

08/08/2019 09h00 | Atualizado em 08/08/2019 09h00

#PraCegoVer A foto mostra um operário de capacete, em cima de um andaime em uma obra de edifício
A alta de 0,68% nos custos da construção foi a maior para julho desde 2015 - Foto: Simone Mello/Agência IBGE Notícias

O Índice Nacional da Construção Civil (Sinapi), divulgado hoje pelo IBGE, cresceu 0,68% em julho, um aumento de 0,33 ponto percentual em relação a junho (0,35%). Esta é a maior taxa para julho desde 2015 e a maior desde junho de 2016.

A alta foi influenciada principalmente pelos aumentos de salários em São Paulo, estado de maior peso na taxa nacional, e no Paraná.

“Sempre que captamos um acordo coletivo em São Paulo, isso se reflete no agregado nacional”, diz o analista da pesquisa, Augusto Oliveira. “O peso de São Paulo corresponde a cerca de 20% da taxa. Então, mesmo que Rondônia e Alagoas apresentem as maiores altas mensais, eles têm um peso muito menor em comparação com São Paulo”, explica Augusto.

A região Sul apresentou a maior variação mensal, com 1,22%, influenciada pelo acordo coletivo no Paraná, quinto estado em termos de peso na taxa nacional, seguida pela região Sudeste, com 1,13%.

Em termos nacionais, o custo médio da construção em julho foi de R$ 1.143,65, sendo R$ 597,92 relativos aos materiais e R$ 545,73 relativos à mão de obra. A parcela dos materiais variou 0,47% e a parcela da mão de obra, 0,92%. De janeiro a julho, os acumulados são 3,21% (materiais) e 2,08% (mão de obra), sendo que em 12 meses ficaram em 6,08% e 2,68%, respectivamente.


Palavras-chave: Custo, Construção, São Paulo, Julho.