IPP

Preços na indústria caem 1,14% em junho após quatro meses de alta

Editoria: Estatísticas Econômicas | Marcelo Benedicto

31/07/2019 09h00 | Atualizado em 31/07/2019 09h01

O principal impacto negativo no IPP partiu dos derivados de petróleo - Foto: Licia Rubinstein/Agência Notícias IBGE

Influenciada pela valorização do real frente ao dólar em junho, os preços da indústria tiveram deflação de 1,14% na comparação com maio, quando teve alta de 1,39%. É a primeira queda após quatro taxas positivas seguidas desde fevereiro. Os principais impactos negativos vieram dos produtos derivados de petróleo e de biocombustíveis e do setor de alimentos.

As informações são do Índice de Preços ao Produtor (IPP), divulgado hoje pelo IBGE. A pesquisa mede a variação dos preços dos produtos na "porta das fábricas", sem impostos e frete, de 24 atividades das indústrias extrativas e de transformação.

 

“No caso do petróleo, internacionalmente os preços estão caindo. Além disso, no mês de junho tivemos uma valorização do real [frente ao dólar] que impactou na baixa dos preços internos. Assim, no caso do petróleo, bem como de todos seus derivados, os preços caem internacionalmente devido ao efeito câmbio”, explica o gerente do IPP, Alexandre Brandão.

Em relação aos alimentos, os destaques negativos foram carne bovina e leite, enquanto resíduos da extração de soja tiveram impacto positivo.

“Nos meses passados, estávamos exportando bastante carne, em função do aumento da importação da China. Mas, em junho, houve um problema circunstancial de exportação dessas carnes. Então, tivemos uma maior oferta para o mercado interno e os preços caíram”, afirma Brandão.

A queda do preço do leite foi fruto de uma menor demanda pelo produto no mercado interno, o que gerou um aumento de estoque e uma consequente diminuição dos preços. Já o aumento de preço dos resíduos da extração de soja tem relação com problemas na colheita de soja nos Estados Unidos, fator que provocou elevação do preço do produto no mercado internacional.

Apenas oito das 24 atividades industriais investigadas tiveram variações positivas de preços na comparação com maio.


Palavras-chave: Preços, Produtor, Indústria, Petróleo, Junho.