Produção agrícola

Estimativas para safra 2019 aumentam e atingem 236 milhões de toneladas

Editoria: Estatísticas Econômicas | Pedro Renaux

11/07/2019 09h00 | Atualizado em 11/07/2019 09h00

#PraCegoVer colheita de soja
A produção de soja foi estimada em 112,5 milhões de toneladas, uma queda de 4,5% - Foto: Mônica Marli/Agência IBGE Notícias

A safra nacional de cereais, leguminosas e oleaginosas deve atingir 236 milhões de toneladas em 2019, de acordo com as estimativas de junho do Levantamento Sistemático da Produção Agrícola, divulgado hoje pelo IBGE. Isso representa uma alta de 4,2% em relação à safra do ano passado e de 0,6% na comparação com o prognóstico de maio.

A alta foi puxada pelas estimativas da produção de milho, em especial a segunda safra, que aumentou 24,7% e bateu recorde de 69,3 milhões de toneladas. Com esse resultado, a expectativa é que sejam produzidas 95,3 milhões de toneladas do grão em 2019, uma alta de 17,1% em relação ao ano passado.

O gerente da pesquisa, Carlos Antônio Barradas, explica que a janela de plantio do milho foi beneficiada pela antecipação da colheita da soja. “Além disso, tem chovido, o clima está beneficiando a segunda safra do milho. Na época de plantio, também, o preço estava melhor que no ano passado, o que estimula os produtores e os investimentos em tecnologias nas lavouras”, diz o pesquisador.

 

Já a soja e o arroz, outros dois principais grãos da safra nacional, reduziram a produção na comparação com 2018. Para a soja, foi estimada uma produção de 112,5 milhões de toneladas, o que representa uma queda de 4,5%.

“A falta de chuva e a temperatura elevada em estados importantes para a soja, como Paraná, Mato Grosso do Sul e São Paulo, prejudicaram a safra. No Paraná, a queda chegou a 15,8%”, explica Barradas.

No caso do arroz, a queda na produção foi consequência da redução de 9,7% na área plantada e de 10,1% na área a ser colhida. Foram estimadas 10,4 milhões de toneladas do grão, um recuo de 11,2% em relação ao ano passado.

Barradas aponta como causa dessa redução a baixa rentabilidade do arroz, o que leva os produtores a buscarem alternativas. “No Rio Grande do Sul, principalmente, muitos produtores estão diminuindo a área plantada de arroz. Está entrando alguma lavoura de soja, porque tem um retorno maior, tanto que o estado se tornou o segundo maior produtor de soja do país”, analisa o gerente da pesquisa.

Em relação à área a ser colhida do total da safra do país, a estimativa de 2019 é de 62,8 milhões de hectares, 3% a mais que a de 2018 e 0,3% maior que a de maio. Para o milho e a soja, essa área aumentou 6,8% e 2,2%, respectivamente, em relação ao ano passado.


Palavras-chave: Agricultura, Estimativas, Safra, Soja, Milho, Arroz.