26/10/2018 | Última Atualização: 05/11/2018 18:38:31

IPP

Preços da indústria acompanham dólar em alta e sobem 2,93% em setembro

Alimentados pela alta de 4,76% do dólar, os preços na indústria subiram 2,93% em setembro, de acordo com os dados da Índice de Preços ao Produtor (IPP), divulgada hoje pelo IBGE. A taxa do mês foi a segunda maior da série histórica iniciada em 2014, atrás apenas de setembro de 2015 (2,99%). Já as variações acumuladas nos últimos 12 meses (18,2%) e no ano (14,02%) são as maiores desde o começo da série.

A moeda americana impulsionou os preços em grupos afetados pelo mercado internacional, como a Fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e de biocombustíveis (7,44%), Fabricação de outros produtos químicos (4,52%) e Metalurgia (3,66%), além da Indústria Extrativa (12,82%). Os grupos foram os responsáveis pelas maiores influências no resultado de setembro, compondo mais da metade do índice (2,25 pontos percentuais).

“Tivemos um aumento muito grande nos derivados de petróleo depois de três meses de estabilidade, assim como no setor extrativo com aumento de 12,82%”, explicou o analista da pesquisa, Manuel Campos, que lembrou a valorização da moeda americana e sua influência no resultado.

“O dólar subiu 4,76% no mês e, em um ano, 31,33%. Na fabricação de outros produtos químicos, onde o adubo é muitas vezes importado, contribuiu bastante. Nos últimos quatro meses, o setor químico teve três aumentos acima de 4%. O setor de refino de petróleo também aumentou muito os preços”, ressaltou o analista.

Os grupos que puxaram o aumento em setembro também registram fortes taxas nos últimos 12 meses. A Indústria Extrativa aumentou seus preços em 58,61% no período, enquanto Fabricação de coque, de produtos derivados do petróleo e biocombustíveis (33,92%), Fabricação de outros produtos químicos (35,14%) e Metalurgia (24,42%) também tiveram alta intensa.

 


Repórter: Rodrigo Paradella
Imagem: Licia Rubinstein/Agência IBGE Notícias
Arte: J.C. Rodrigues