Inflação na Indústria

Preços da indústria variam 2,33% em maio, segunda maior taxa da série

Editoria: Estatísticas Econômicas | Mônica Marli | Arte: J.C. Rodrigues

03/07/2018 09h00 | Atualizado em 03/07/2018 09h03

#praCegoVer Plataforma de petróleo

Os preços da indústria subiram 2,33% na passagem de abril para maio deste ano, de acordo com o Índice de Preços ao Produtor (IPP), divulgado hoje pelo IBGE. Essa é a segunda maior taxa da série, iniciada em janeiro de 2014. O resultado de maio ficou abaixo apenas do apresentado em setembro de 2015, quando foi registrada uma variação de 2,99%. 

"É interessante observar que, em setembro de 2015, havia uma depreciação do real frente ao dólar bastante alta. Naquele período era de 11,2%. E essa de maio foi a segunda maior, 6,7%. O IPP costuma, muitas vezes, acompanhar o câmbio", ressaltou o gerente de Análise e Metodologia do IBGE, Alexandre Brandão. 

#praCegoVer Gráfico da variação percentual do índice geral do IPP, comparando mês com mês anterior

Ainda de acordo com Brandão, em maio, as duas principais atividades do IPP, que são Alimentos e Refino de Petróleo e Produtos de Álcool, foram as que, efetivamente, puxaram a taxa para cima. Refino teve aumento de 7,36% e teve influência de 0,85 ponto percentual (p.p.) no índice. Alimentos teve variação de 3,21% e influência de 0,60 p.p.

Com o resultado de maio, o acumulado do ano do IPP ficou em 5,96%. O acumulado dos 12 meses foi de 10,45%, ficando abaixo, apenas do resultado de 10,89%, registrado em outubro de 2015. O IPP mede a evolução dos preços de produtos “na porta de fábrica”, sem impostos e fretes.