15/05/2018 | Última Atualização: 15/05/2018 10:10:50

Atividades profissionais e administrativas contribuem para baixa do setor

Editoria: Estatísticas Econômicas | Subeditoria: Serviços

O setor de serviços recuou 0,2% em março, na comparação com fevereiro, de acordo com a Pesquisa Mensal de Serviços (PMS), divulgada hoje pelo IBGE. Das cinco atividades investigadas, três tiveram variação negativa, com destaque para o segmento de serviços profissionais, administrativos e complementares, que caiu 1,8%.

Transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio, com recuo de 0,8%, e outros serviços, com queda de 0,4%, foram as atividades que também apresentaram resultados negativos. Enquanto os serviços de informação e comunicação e os serviços prestados às famílias tiveram alta de 2,3% e 2,1% respectivamente. 

Gráfico da variação do mês com contramês anterior, comparando serviços profissionais, administrativos e complementares com as atividades de serviços

Em março, o setor de serviços profissionais, administrativos e complementares voltou ao ponto mais baixo da série histórica, que já havia sido atingido em janeiro de 2018. A pesquisa começou a ser divulgada pelo IBGE em 2011.

De acordo com o gerente da PMS, Rodrigo Lobo, o volume de serviços como um todo ficou 12,8% abaixo do pico da série histórica, registrado em novembro de 2014, e apenas 0,8% acima do ponto mais baixo, que foi em março de 2017. 

“Desde que atingiu o ponto mais baixo da série, o setor de serviços tem apresentado uma sequência de resultados positivos e negativos, oscilando perto desse patamar mais baixo”, disse o gerente.

Na comparação mês contra o mesmo mês do ano anterior, o segmento de serviços profissionais, administrativos e complementares apresentou a 36ª taxa negativa, ao recuar 2,6%. Foi a atividade que mais impactou negativamente o índice global dos serviços, que ficou em -0,8%.


Repórter: Monica Marli
Imagem: Pexels
Arte: J.C. Rodrigues