Exposição

"O IBGE mais perto de você" está em cartaz no Congresso Nacional

Editoria: IBGE | Diana Paula de Souza

06/04/2018 14h57 | Atualizado em 27/04/2018 08h21

A exposição O IBGE mais perto de você pode ser visitada desde a última quarta-feira (04/04) no Salão Negro do Congresso Nacional, em Brasília (DF). Até 22 de abril, os 8,5 milhões de km² do território brasileiros estão ao alcance dos pés dos visitantes num mapa interativo sobre a cobertura e uso da terra. Também estão disponíveis totens para navegação nas ferramentas digitais do instituto.

O presidente do IBGE, Roberto Olinto Ramos, discursou no lançamento da exposição. Ele afirmou que o mapa deve ser considerado como um ícone, uma manifestação simbólica de um momento em que o IBGE se aproxima da Câmara dos Deputados e do Senado Federal. “Este enorme mapa é um pequeno exemplo dessa aproximação. Que ele possa se tornar perene e que o nosso produto seja cada vez mais exposto aqui”, declarou.

O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (ao centro), prestigiou a exposição O IBGE mais perto de você

Presidente da Câmara visita mostra do IBGE

Também participaram da abertura o deputado Carlos Melles (DEM), presidente da Frente Parlamentar de Geografia, Estatística e Meio Agroambiental (Gema), a senadora Ana Amélia (PP), e o deputado Luiz Carlos Hauly (PSDB). O presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia (DEM), e outros parlamentares prestigiaram a exposição.

Melles ressaltou que, “o trabalho do IBGE nada mais é que do que um trabalho de sustentação da elaboração e execução das políticas públicas”. Ele enfatizou a importância do Censo Agropecuário, uma vez que o Brasil é “um país que, em 25 anos, na mesma área, quadruplicou a sua produção agrícola e está há mais de dez anos sem um Censo Agro”.

A senadora Ana Amélia cumprimentou a “brava equipe do IBGE” e também destacou a importância do Censo Agropecuário e a necessidade de recursos para a realização do Censo Demográfico, que vai a campo em 2020. “A Gema vai trabalhar empenhadamente neste, que não é apenas um projeto do IBGE, mas um projeto de interesse nacional. Sem ele, o Brasil não se conhecerá, não saberá que tamanho tem, nem que gente está habitando esse imenso território”.

A exposição fica em cartaz até o dia 22 de abril, e pode ser visitada às segundas, quintas e sextas, das 9h às 18h, às terças e quartas, das 9h às 20h, e aos sábados e domingos, das 9h às 17 horas. As orientações sobre visitação ao prédio do Congresso Nacional estão disponíveis no Guia do Visitante no site da instituição.

O deputado Carlos Melles, a senadora Ana Amélia, o presidente do IBGE Roberto Olinto Ramos e o deputado Luiz Carlos Hauly participaram da abertura da exposição 

4,6% do território nacional tiveram sua cobertura alterada entre 2012 e 2014

O mapa interativo sobre a Cobertura e Uso da Terra mostra as transformações ocorridas na superfície terrestre, principalmente aquelas relacionadas ao crescimento populacional, ao desenvolvimento tecnológico e à modernização da agricultura.Comparado ao de 2012, o mapa de 2014, exposto na Câmara, mostra que cerca de 4,6% do território brasileiro sofreram algum tipo de alteração em sua cobertura. Esta taxa é ligeiramente maior que a observada entre 2010 e 2012, que foi de 3,5%. Isso porque a expansão da agricultura, das pastagens com manejo, da silvicultura e das áreas artificiais continuaram a ocorrer, além do prosseguimento das reduções nas áreas de vegetação florestal e de pastos naturais.

As reduções de cobertura mais importantes ocorreram nas áreas de vegetação florestal e de pastagem natural. As florestas sofreram redução de 1,8% entre 2010 e 2012, e de 0,8% no período 2012-2014, indicando uma desaceleração nesse processo. Já a redução das pastagens naturais se intensificou, passando de 7,8% (2010-2012) para 9,4% (2012-2014).