23/02/2018 | Última Atualização: 10/04/2018 08:50:34

Entre 2014 e 2017, desemprego cresceu mais em Santa Catarina e no Rio

Santa Catarina foi o estado onde o desemprego mais cresceu entre 2014 e 2017 (170,2%), passando de 100 mil para 270 mil desocupados. No estado, o aumento foi motivado pelo fechamento de postos de trabalho, principalmente, na Construção (-3,8%), na Indústria (-2%) e nos Serviços (-0,6%). Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios Contínua - trimestral (PNADC), divulgada hoje pelo IBGE.

“Embora Santa Catarina tenha obtido a menor taxa de desocupação em 2017 (7,1%), foi o estado que mais sofreu com o desemprego nesses últimos três anos”, destaca o coordenador de Trabalho e Rendimento, Cimar Azeredo.

O Rio de Janeiro, por sua vez, apresentou o segundo maior aumento no número de desocupados (157%), passando de 494 mil em 2014, para 1,2 milhão de pessoas sem trabalho em 2017. No estado, o desemprego cresceu em razão da redução de vagas, principalmente, na Indústria (-19%), na Construção Civil (-13,8%) e nos Serviços (-8,4%).

#praCegoVer Gráfico da população desempregada entre 2014 e 2017, com destaque para o Brasil, Rio de Janeiro e Santa Catarina

No país, a taxa de desemprego atingiu 12,7% em 2017, o que significa que 13 milhões de pessoas estavam desempregadas no ano. Essa foi a maior taxa da série histórica iniciada em 2012. Comparado a 2014, a população desempregada subiu 86,4%.

Cresce número da população subutilizada

A pesquisa também revelou que a taxa de subutilização da força de trabalho (pessoas ocupadas com jornada inferior a 40 horas semanais + força de trabalho potencial), em 2017, foi de 23,8%, o que representa 26,5 milhões de pessoas.


Repórter: João Neto
Imagem: Ádria de Souza / Prefeitura de Olinda
Arte: Marcelo Barroso