17/11/2017 | Última Atualização: 17/11/2017 10:46:08

Estudo mostra empresas que cresceram apesar da crise

Das 30.939 empresas de alto crescimento, ou seja, aquelas que tiveram crescimento médio de 20% na ocupação durante dois triênios seguidos, 12,8% (3.965) mostraram-se resilientes diante da crise econômica de 2014. Tais empresas, que já vinham apresentando histórico de expansão, cresceram 20% ou mais em 2015, apesar da recessão. As informações são das Estatísticas de Empreendedorismo, pesquisa anual que avalia a performance de empresas de alto crescimento, divulgada hoje pelo IBGE.

Em um estudo inédito, a pesquisa revelou que em 2015 as empresas resilientes geraram R$ 121,2 bilhões em receita líquida e contrataram 255.167 profissionais. Elas se concentravam principalmente nos setores de informação e comunicação (19,8%); atividades financeiras, de seguros e serviços relacionados (19,3%); atividades administrativas e serviços complementares (17%); educação (16,6%); e saúde humana e serviços sociais (16,2%).

"A investigação das empresas resilientes e as de alto crescimento em geral é importante para embasar a elaboração de políticas públicas que promovam a geração de empregos nas economias”, destaca a economista Isabella Nunes, responsável pela pesquisa.

Empresas de alto crescimento geraram 2,2 milhões de empregos em 2015

De acordo com a pesquisa, as empresas de alto crescimento, incluindo as resilientes e as não resilientes, geraram 2,2 milhões de empregos entre 2012 e 2015, respondendo por 67,7% das vagas abertas no país no período. O pessoal ocupado passou de 1,3 milhão em 2012 para 2,5 milhões em 2015, um aumento de 172%.

Apesar do resultado positivo nesse segmento, entre 2012 e 2015 o Brasil perdeu cerca de 292 mil postos de trabalho, uma vez que apenas 1% de todas as empresas ativas no país foram qualificadas como de alto crescimento.

Texto: João Neto
Arte: J.C. Rodrigues
Foto: Pexels