Contas Econômicas Ambientais

PIB Verde será calculado pelo IBGE

Editoria: IBGE | João Neto, Pedro Renaux e Karina Meirelles (estagiária)

18/10/2017 18h13 | Atualizado em 31/05/2019 15h58

O IBGE, órgão responsável pelo cálculo do Produto Interno Bruto (PIB), passará a divulgar também o Produto Interno Verde (PIV), conhecido como PIB Verde. O projeto de lei, que tramitava no Legislativo desde 2015, foi sancionado esta semana pelo presidente da República. Trata-se de uma mudança com perspectiva de longo prazo e, por isso, aspectos como data de implementação e periodicidade de divulgação ainda não foram definidos.

A lei nº 13.493 determina que o patrimônio ecológico do país também terá peso no Sistema de Contas Nacionais. Além disso, exige que a metodologia para o cálculo do PIB Verde seja amplamente discutida com a sociedade e as instituições públicas, incluindo o Congresso Nacional, antes da criação de um sistema nacional de contas ambientais.

 O PIB Verde ajudará a traçar uma estratégia de desenvolvimento sustentável para o país- Foto: Helena Pontes/Agência IBGE Notícias

De acordo com o presidente do IBGE, Roberto Olinto Ramos, o PIB Verde terá uma função importante para o conhecimento da estrutura econômica do Brasil: “Ao incorporar o eixo ambiental no Sistema de Contas Nacionais, seremos capazes de analisar o impacto do crescimento econômico sobre nossos recursos naturais, o que nos permitirá traçar uma estratégia de desenvolvimento sustentável”, ressalta.

A divulgação do PIB Verde possibilitará a comparação das taxas econômicas ambientais brasileiras com as de outros países, especialmente com o Índice de Riqueza Inclusiva (IRI), elaborado pela Organização das Nações Unidas (ONU).

Esse índice, divulgado bienalmente, mostra que o PIB, isoladamente, é uma medida inadequada para avaliar prosperidade a longo prazo. Ao incluir aspectos como saúde, educação e meio ambiente em seus sistemas de contas, as nações estarão mais aptas a atrair o interesse das novas gerações para a temática da sustentabilidade.