Empresas de serviços geram menos receita em 2015

22/09/2017 10h00 | Atualizado em 26/09/2017 11h08

As empresas do setor de serviços geraram em 2015 uma receita de 1,4 trilhão de Reais, um desempenho 2,4% menor do que o apresentado em 2014. Essa queda foi influenciada, principalmente, pela retração de 4,2% do segmento de transportes, serviços auxiliares aos transportes e correio. Esses dados são da Pesquisa Anual de Serviços (PAS) 2015, divulgada hoje pelo IBGE. 

Luiz Andrés Paixão, pesquisador do IBGE, relembra que em 2015 o Brasil atravessava uma crise e que o setor de serviços responde bastante a essas conjunturas. “As empresas do setor de serviços não tiveram como ajustar preços em um ano em que a atividade foi baixa e a inflação foi alta”, comenta.

Entre as atividades, transporte rodoviário de carga foi a que mais contribuiu individualmente para o recuo da receita (-12,4%), resultado da menor demanda tanto para o escoamento da produção, quanto para a circulação das mercadorias. 

Mercado de trabalho nas empresas de serviço

Em 2015, 12,7 milhões de pessoas trabalhavam em empresas do setor de serviços. Em comparação com 2014, houve uma queda de 2,3%, o que significa uma perda de 304.521 postos de trabalho. O segmento que mais contribuiu para esse recuo foi serviços profissionais, administrativos e complementares (-3,4%, 178.174 postos de trabalho a menos). Entre as atividades, seleção, agenciamento e locação de mão de obra foi a que registrou a maior queda (-11,0%).

O salário médio mensal ficou em R$ 1,9 mil, representando retração de 4,6% em relação ao ano anterior. As atividades imobiliárias (-6,8%) e os serviços de informação (-5,2%) foram os segmentos que apresentaram as variações mais negativas. 

Texto: Mônica Marli
Imagem: 
Licia Rubinstein
Gráfico: 
Pedro Vidal