Transportes pressionam prévia da inflação em setembro

21/09/2017 09h00 | Atualizado em 21/09/2017 09h11

Em setembro, as passagens aéreas (21,30%) e os combustíveis (3,43%), alavancaram a alta de 1,25% nos preços dos transportes, que correspondem a 18% das despesas das famílias. Em Brasília, que teve a maior prévia da inflação (0,69%) entre as áreas pesquisadas, as passagens aéreas e a gasolina cresceram, respectivamente, 15,49% e 9,93%. As informações são do Índice Nacional de Preços ao Consumidor Amplo 15 (IPCA-15), que registrou alta de 0,11% em setembro, o menor resultado para o mês desde 2006 (0,05%). O acumulado no ano foi de 1,90%, e de 2,56% para os últimos 12 meses.

A alta nos transportes foi compensada pela queda de -0,94% dos alimentos e das bebidas, que representam cerca de 25% das despesas das famílias. O resultado foi mais acentuado entre os produtos para consumo em casa (-1,54%), com destaque para o tomate (-20,94%), o feijão-carioca (-11,67%), o alho (-7,96%), o açúcar cristal (-4,71%) e o leite longa vida (-3,83%). Todas as regiões pesquisadas registraram quedas nesse setor.

O IPCA-15 é um indicador, calculado pelo IBGE, que mede a inflação entre a segunda metade de um mês e a primeira quinzena do mês de referência. Engloba as famílias com rendimento de um a 40 salários mínimos e abrange as regiões metropolitanas do Rio de Janeiro, Porto Alegre, Belo Horizonte, Recife, São Paulo, Belém, Fortaleza, Salvador e Curitiba, além de Brasília e Goiânia.

Texto: Pedro Renaux
Imagem: Pixabay
Gráfico: J.C. Rodrigues