Safra de açaí foi de 1,1 milhão de toneladas em 2016

21/09/2017 10h00 | Última Atualização: 21/09/2017 10h03

Segundo a Pesquisa Agrícola Municipal (PAM), divulgada hoje, de 2015 para 2016, a produção agrícola nacional de açaí aumentou de 1,0 milhão de toneladas para 1,1 milhão. Essa é a primeira vez que o IBGE investiga a cultura de açaí no âmbito da agricultura. O maior estado produtor foi o Pará, com 98,3% do total nacional. Os 20 maiores municípios produtores são paraenses, com destaque para Igarapé-Miri, o maior produtor mundial, com 305,6 mil toneladas, 28,0% da produção do país. Juntos, os cinco maiores municípios produtores (Igarapé-Miri, Cametá, Abaetetuba, Bujaru e Portel) representam 62,7% da produção do estado.

Em 2016, o valor da produção de frutas foi avaliado em R$ 33,3 bilhões, representando um aumento de 26,0% em relação a 2015, o maior aumento desde 2001, quando a variação positiva tinha chegado a 48,6%. Os seis principais produtos concentram 73,2% do valor da produção nacional: laranja (25,1%), banana (25,0%), abacaxi (7,3%), uva (6,4%), maçã (5,0%) e mamão (4,4%). São Paulo (30,9%) foi o principal estado em termos de valor da produção, seguido pela Bahia, com 12,2%.

Entre os municípios, Petrolina (PE) apresentou a maior contribuição para o valor da produção nacional. As produções de uva, manga, goiaba e banana são destaques no município, que contribuiu com 1,9% no valor nacional das frutíferas. Petrolina fica no Vale do São Francisco, uma das regiões mais importantes para a fruticultura nacional.

Segundo Larissa Leone, supervisora da pesquisa, o aumento no valor foi provocado por oito produtos, em ordem de importância: laranja, banana, limão, maçã, mamão, tangerina, melão e noz. “O aumento no valor de produção da laranja se deu em decorrência da queda no estoque mundial e nacional de laranja. Sendo o Brasil o principal produtor e exportador de laranja do mundo, a redução no nosso estoque de laranja implica em redução de exportação e consequentemente a valorização do preço no mercado internacional. As demais frutas cítricas seguem a tendência da laranja, que é o carro-chefe do grupo”, explica a pesquisadora. Já banana e maçã sofreram com ondas de frio, que reduziram a produtividade de ambas as culturas.

O valor total de produção agrícola foi de R$ 317,5 bilhões, 20,0% maior do que em 2015. Os principais fatores que contribuíram foram os aumentos nos valores de produção de soja (16,1%), milho (26,5%), cana-de-açúcar (18,3%) e café do tipo arábica (43,5%).

São Paulo é o estado com maior participação no valor da produção, com 16,4% da participação nacional, acréscimo de 1,4% em relação ao ano anterior. Entre os municípios, Sorriso (MT), maior produtor nacional de soja e milho, respondeu por 20,8% do valor da produção agrícola do seu estado e assumiu a liderança no ranking nacional do valor da produção agrícola, com R$ 3,2 bilhões, alta de 28,3%, ultrapassando São Desidério (BA) que reduziu o valor da sua produção em 33,5%.

Texto: Eduardo Peret
Imagem: Flickr/Ubirajara Machado
Gráfico: Helga Szpiz