Empresas de construção sofrem retração

21/06/2017 10h00 | Atualizado em 29/06/2017 14h16

Em 2015, a indústria da construção realizou empreendimentos no valor de R$ 354,4 bilhões, com retração de 16,5% em relação a 2014. O mesmo aconteceu com a receita operacional líquida (R$ 323,9 bilhões), que também apresentou recuo de 18,7%, em termos reais.

O gasto com pessoal ocupado correspondeu a 33,3% dos custos e despesas dessas empresas. Já o salário médio mensal recuou 1,4%, passando de R$ 1.970,05 em 2014 para R$ 1.943,43 em 2015.

De acordo com José Carlos Guabyraba, gerente da Pesquisa Anual da Indústria da Construção (PAIC), esses resultados, divulgados hoje (21 de junho), são influenciados pelo Produto Interno Bruto (PIB):

“Deve-se observar que a variação do PIB trimestral em 2015, em relação a 2014, foi de -3,8%, a maior retração da série histórica atual iniciada em 1996. A partir de 2014, o segmento da construção passou a refletir o ambiente de desaceleração da atividade econômica do país, evidenciado, no âmbito da demanda interna, pela perda de dinamismo do consumo das famílias, que apresentou queda de -3,9% em relação a 2014”.

Em 2015, o setor da construção contava com 131,5 mil empresas ativas, nas quais trabalhavam 2,4 milhões de pessoas, conforme mostra o gráfico abaixo:

 

Texto: Marcelo Benedicto
Arte: Helga Szpiz